CINZA

 

Hoje…

acordei 

a pensar no Sol…

O Sol,

poderoso,

mas, às vezes,

tão distante

e egoísta…

Que acabei

por lhe virar

as costas

e refugiar-me

no cinzento do Dia

e na violência

da Chuva…


Poema escrito em Março 2024 por MV@MartaVinhais@


Foto de autoria de Natalia Deprina

Comentários

Fackel disse…
Al sol solo hay que darle la espalda solo por precaución: su enemigo no es la lluvia. Esta es siempre purificadora. Y criadora de la tierra.
Poderoso, profundo, fascinante de ler
Cumprimentos poéticos
Eduardo Medeiros disse…
Olá, tudo bem?

como canta o Vitor Clay, "Ó sol, vê se me aquece..."

bonito poema.
Não desanimar. Venha o sol.
Um abraço.
El sol, lo echamos de menos en invierno y cuando se asoma alegra el alma.
Saludos

Mensagens populares deste blogue

NAS MINHAS MÃOS

GRITO

O QUE PERDI