sexta-feira, agosto 12, 2022

SEM BRILHO (POEMA DE 2011)



Sei que falta alguma coisa.

Brilho, glamour, paixão?

Nada disso há na solidão
em que o meu mundo se fechou.

Nunca me tinha apercebido
até que ponto a noite
pode ser solitária.

Como qualquer ruído é ainda mais intenso.

Lamento-me, eu sei.

E, as lágrimas?
São sinal de fraqueza....

Quem o diz,
nunca sentiu a dor que nos arranca a pele,
nos sufoca lentamente.


Sem glamour,
sem paixão,
sem brilho.


POEMA ESCRITO E PUBLICADO EM MARÇO 2011

6 comentários:

- R y k @ r d o - disse...

Nem sempre a solidão e o silencio são más companhias. Poema muito intenso que muito gostei de ler.
.
Cumprimentos poéticos
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Paula Saraiva disse...

Lindíssimo poema que tanto gostei de ler.
Beijinhos

Fackel disse...

Espléndido poema desahogo.

Las lágrimas son palabras son palabras ocultas que se liberan.

Cidália Ferreira disse...

Não sei se comentei esta publicação. Deve conferir o spam!:)
-
Um grito de liberdade, é um sopro à vida...

Beijos________ Bom fim de semana!

José Alex Gandum disse...

Poema forte, bem desenhado, com as palavras muito bem colocadas e num ritmo interessante...

Jaime Portela disse...

Sem amor, avida complica-se, é um sufoco...
Excelente poema, gostei muito.
Boa semana, querida amiga Marta.
Um beijo.