quinta-feira, agosto 11, 2022

INSÓLITO OU INDIGO (POEMA DE 2011)


No meu sonho,

vejo-me criança.

 

Insólito,

não será eu jogar com o mar,

perseguir, feliz a espuma.

Dar nome às ondas e

ficar triste por não regressarem...

 

Insólito,

será todo este azul.

Azul indigo,

mágico...

 

Embrulha agora a minha noite.

Revela o meu nome à casa.

E, amanhã,

talvez pinte assim a varanda....


POEMA ESCRITO E PUBLICADO EM MARÇO 2011


6 comentários:

Fackel disse...

Qué interesante y bien construida es esta clase de poesía de hace años...

Jaime Portela disse...

Há 11 anos já escrevias magníficos poemas.
Fico à espera de mais, julgo que é isso que vais fazer até ao fim do mês...
Continuação de boa semana e boas férias, amiga Marta.
Um beijo.

chica disse...

Si8mplesmente MARAVILHOSO,Marta! perfeito! beijos, lindo dia! chica

- R y k @ r d o - disse...

Poema lindíssimo que o tempo passado não desatualizou...
.
Abraço virtual de amizade
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Cidália Ferreira disse...

Muito bonito!! Adirei :))
-
"Sem querer dizer adeus.."

Beijos
Boa Tarde!

José Alex Gandum disse...

Um poema com 11 anos mas actualíssimo, com um ritmo desconcertante, ao nível dos melhores poemas dos grandes poetas. Parabéns,