quarta-feira, agosto 24, 2005

Somos folhas breves onde dormem
as aves de sombra e solidão.
Somos só folhas e o seu rumor
Inseguros, incapazes de ser flor
até a brisa nos perturba e faz tremer.
Por isso, cada gesto que fazemos,
cada ave se transforma noutro ser

Eugénio de Andrade - Somos folhas breves

Encontrei este poema no Jardim dos Sentimentos, nos Jardins do Palácio de Cristal.
O Jardim é lindo e só um poema escrito com o coração e com alma poderia lá estar!
Como eu, Eugénio de Andrade amava profundamente esta cidade e hoje, que me sinto perturbada, procurei a paz dos Jardins e a vista maravilhosa para o rio para me redescobrir.