quinta-feira, janeiro 27, 2005

UMA DECLARAÇÃO DE AMOR

Reli novamente o poema de Vinicius " Ausência" e ele fala em

nada te poderei dar se não a mágoa de me veres
eternamente exausto”

Talvez ele se sinta cansado, velho, doente e porque a ama, quer poupá-la à dor de o ver sofrer.
Talvez ache que ela deva recomeçar a vida onde a deixou quando o encontrou!

Talvez seja tudo ou apenas e só isso – uma declaração de amor!

quarta-feira, janeiro 26, 2005

DEIXAR MORRER

"Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos
que são doces
Porque nada te poderei dar se não a mágoa de me veres
eternamente exausto"
- Ausência de Vinicius de Moraes

Às vezes, é o que temos que fazer - deixar morrer em nós esse amor que não conquistamos, que nos desiludiu!
Fica sempre a mágoa e a dúvida - aquela eterna pergunta se tudo seria diferente se tivessemos agido doutra forma.
Mas eu aprendi que nunca devemos deixar de ser o que somos - tu não me aceitaste como tal e por isso, que podia eu fazer?

segunda-feira, janeiro 24, 2005

UM SORRISO, UMA IDEIA DE FELICIDADE

"Tristeza não tem fim
Felicidade, sim...
A Felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve
Mas tem a vida breve
Precisa que haja vento
Sem parar"
Vinicius de Moraes - excerto do poema "A Felicidade"

É como a areia,
a onda que brinca com os nossos pés - a próxima pode ser uma surpresa, ser mais violenta, arrancar-nos até a vida!
Mas a felicidade é, e continuará a ser sempre, algo, e emprego a palavra "algo", porque não é palpável, que recordaremos com um sorriso, talvez um pouco triste, mas um sorriso!