sábado, dezembro 30, 2006

PENA DE AMAR

O que desejei às vezes
Diante do teu olhar,
Diante da tua boca!
Quase que choro de pena
Medindo aquela ansiedade
Pela de hoje - que é tão pouca!
De António Botto - Aves
de Um Parque Real
As Canções de António Botto
O meu comentário??
Pena de quê?
De se ter amado?
Amar não é pecado...............
Pensei que o fosse................
Sei agora que não o é...........
Quando se ama verdadeiramente....
Com alma, com sentimentos, com o coração...
Com o sorriso no olhar.............
Não se deve ter pena de ter amado
ou estar a amar..................

quinta-feira, dezembro 21, 2006

A PORTA ABERTA


Quase de nada místico
Não, não deve ser nada este pulsar
de dentro: só um lento desejo
de dançar. E nem deve ter grande
significado este vapor dourado,
e invisível a olhares alheios:
só um pólen a meio, como de abelha
à espera de voar.........

Às Vezes o Paraíso de Ana Luísa Amaral
O meu comentário??
Quem não gosta de dançar?
De sentir que ultrapassou a fronteira
entre o real e o irreal e se transformou numa princesa?
Ou numa fada?
Ou simplesmente numa flor para brilhar ao sol,
ser coroada pelas abelhas e ficar fascinada pela lua?
Todos os nossos pequenos desejos e sonhos têm significado
- abrem as portas ao que nos torna felizes...
que nos pode tornar felizes.......
Basta realmente deixar a porta aberta...........

domingo, dezembro 17, 2006

ATRÁS DE TI


Reflexos

Olho-te pelo reflexo
Do vidro
E o coração da noite
E o meu desejo de ti
São lágrimas por dentro,
Tão doídas e fundas
Que se não fosse:
de Ana Luísa Amaral - In Anos 90 e Agora
O meu comentário???
Será que partes?
Será que vais olhar para trás?
Será que a única memória que ficará
é ver-te afastar , de mim e da minha vida,
através da janela, com a noite como única testemunha?
Porque não dar voz a esse desejo e correr atrás de ti?
Eu acho que correria........................

domingo, dezembro 10, 2006

QUANTO

..........
quanto me
queres?
quanto me
desejas?
ah quanto te quero
quando te quero
quando me queres...



de Ana Hatherly - Um calculador de improbabilidades

O meu comentário??
Impossível medir tais emoções..........
Podemos oferecer o mundo e mesmo assim,
ter a certeza que nada representa.............
Porque o que verdadeiramente sentimos,
o que realmente queremos..............
só obedece a si próprio.............
O nosso próprio turbilhão,
um tufão que nos projecta no ar
e que, bem depressa pode desaparecer................

quinta-feira, dezembro 07, 2006

A PALAVRA


Conserto a palavra com todos os sentidos em silêncio
Conserto a palavra com todos os sentidos em silêncio
Restauro-a
Dou-lhe um som para que ela fale por dentro
ilumino-a

de Daniel Faria em homens que são como lugares mal situados

O meu comentário??
A palavra escreve-nos,
descreve-nos,
brinca connosco....
torna-se sagrada....
Desenha o nosso horizonte,
acaricia a nossa face e simplesmente segue-nos...........
Por vezes, em silêncio, outras com risos,
mas também com dor........

domingo, dezembro 03, 2006

NUNCA


Um rio de escondidas luzes
atravessa a invenção da voz:
avança lentamente
mas de repente
irrompe fulminante
saindo-nos da boca
Um rio de luzes de Ana Hatherly
O Pavão Negro
O meu comentário???
Dizer o que não devemos...
Num repente, um momento
que destroça tudo.............
Fulminante, por, às vezes não
podermos remediar o sentido das palavras...
O que dissemos está dito, magoou
e viverá nas recordações.............
E as luzes apagam-se...........
Nunca a luz deve ficar apagada.....................................................

sexta-feira, dezembro 01, 2006

LUGAR DOS SONHOS

A imaginação
ergue-se do arrepio da sombra
guerrilha entre parênteses
ergue-se da constante chacina
procurando outra coisa
outra causa
o outro lado do ver



Ana Hatherly
O Pavão Negro

O meu comentário??
Porque a imaginação tem que voar e procurar o outro lado do "ver" é realizar os sonhos...........
Que crescem connosco, nos alimentam
e nos quais nos refugiamos quando nos ferem....
Às vezes, ficamos lá para sempre;
outras,
procuramos "ver" novos..............
Da sombra, da dor fugir devemos......................
Aí, não é o lugar dos sonhos..............

domingo, novembro 26, 2006

ESPAÇOS

Que é o espaço
senão o intervalo
por onde o pensamento desliza
imaginando imagens?
de Ana Hatherly - O Pavão Negro
O meu comentário??
Ou revivendo sensações?
Sentir-se apaparicada...
Ou amada....
Ou simplesmente em paz consigo própria..........
Com um sorriso secreto de
que só o pensamento se apercebe......
Porque igualmente o vive...................

terça-feira, novembro 21, 2006

SOMOS

Agora sei que dizer de nós é sempre o mais difícil
porque somos o que somos e os outros,
e somos ainda tudo o resto: as coisas, pedras,
árvores, animais. Somos as flores certas a certa
altura, e depois frutos. Somos raizes profundas
que na terra buscam alimento e à terra se
entregam como paga
O Exílio de Nuno de Figueiredo

O meu comentário???
A natureza está presente em cada momento da nossa vida....
Faz parte de nós e quase sempre isso ignoramos....
Porque somos egoístas e
queremos dominar o que não é
nosso....
Porque fazemos parte do mesmo ciclo...
Nascemos, crescemos, florescemos e depois....
Voltamos à origem - com a morte
à terra que tanto desprezamos......

quarta-feira, novembro 15, 2006

AZUL

Bêbedo da luz pálidos dos teus olhos,
esvazio ainda o teu copo; e voltas
a enchê-lo, sabendo que é inesgotável
esta sede!
Amor de Nuno Júdice - do livro Pedro Lembrando Inês

O meu comentário??
O amor é inesgotável...
Perdemos dias, horas
a relembrar todos os passos,
todas as palavras e todos os beijos trocados...
Estamos, efectivamente bêbedos,
ávidos daquilo com que sempre sonhamos
e que obtivemos, por fim.......
Nem sempre...
Se atinge o céu e nos confundimos com o azul.....

sexta-feira, novembro 10, 2006

ROSAS

Como as rosas selvagens que nascem
em qualquer canto, o amor também
pode nascer de onde menos esperamos.
O seu campo é infinito: alma e corpo.
Variação sobre rosas de Nuno Júdice - do livro Pedro lembrando Inês
O meu comentário??
Amor comparado a uma rosa...
Um botão que desabrocha e floresce..........
Não há fronteiras para o amor -
o amor rompe com todas as convenções...
Mas nem sempre é o vencedor.........
Por isso, tal como a rosa, murcha e morre.....
Aí, tudo fica sem sentido.......

segunda-feira, novembro 06, 2006

RENOVAR

Em quem pensar, agora, se não em ti?
Tu, que me esvaziaste de coisas incertas,
e trouxeste a manhã da minha noite...
Pedro, lembrando Inês de Nuno Júdice do livro do mesmo nome
O meu comentário??
Amor verdadeiro??
Às vezes, é o momento em que mais incertezas há............
Mas a noite é curta demais
e passa-se o dia a relembrar momentos
e renovam-se desejos.......

quinta-feira, novembro 02, 2006

TRAVO AMARGO

E, então a noite caiu, para que não se falasse
do cair da noite. A noite caiu tão fria como as
últimas noiteS que cairam, neste princípio de Inverno e
ninguém pôs um colchão por baixo dela para que a
noite não se magoasse, ao cair
Noite e Dia - de Nuno Júdice - As coisas mais simples
O meu comentário??
Porque é que não nos lembramos dos outros...
Do sofrimento, da dor que atravessa a noite dos outros...
Porque é que só pensamos que não nos diz respeito....
Egoísmo nosso,
porque aquilo que acontece aos outros,
um dia também nos acontecerá...
Eu sei....
Aconteceu-me e
ainda hoje sinto o travo amargo da culpa e do remorso.......

sábado, outubro 28, 2006

AS PALAVRAS


Ponho palavras em cima da mesa: e deixo
que se sirvam delas, que as partam em fatias,
sílaba a sílaba, para as levarem à boca -
onde as palavras se voltam a colar, para cairem
sobre a mesa

Verbo de Nuno Júdice - As coisas mais simples

O meu comentário??
Jogos de palavras...
Discussões...
Mentiras....
Ou confissões de amor?
Tudo se passa à volta da palavra,
às vezes nasce a mágoa,
mas também cresce a paixão...

quarta-feira, outubro 25, 2006

MENSAGEM DAS GOTAS

As coisas mais simples, ouço-as
no intervalo do vento, quando um
simples bater de chuva nos vidros
rompe o silêncio da noite, e o
seu ritmo se sobrepõe ao das palavras
Poema de Nuno Júdice - As coisas mais simples

O meu comentário??
Há mais alguma coisa a acrescentar?
A sentir?
Estar-se sentada, aconchegada,
abraçada a quem amamos...
Sonhar com uma música,
cantarolar versos sem rima....
Para quê perder tempo
a procurar coisas sofisticadas,
quando a beleza está efectivamente
em ouvir a mensagem
que as gotas de chuva escrevem na janela??

terça-feira, outubro 17, 2006

NUM SUSSURO

Nome vermelho
Rapariga, mulher
Rapariga amor
Melhor Canção
Deserto no mar
De beijos vermelhos
Inesperados
Não vejo senão
A cor do amor
Na tua voz
Elis ou Simone - António Manuel dos Santos Fernandes

O meu comentário??
Basta dizer o meu nome carinhosamente...
Dizer o meu nome com as cores e a verdade da paixão...
Num sussuro, num segredo, na alma....

sexta-feira, outubro 13, 2006

HOMENAGEM

No teu sorriso
A advinha forte de seres bela.
Na tua beleza
O projecto da felicidade
que anuncia.
O peso da vontade
em que se envolve
a esperança.
Onde a perspectiva se
anima e se desvenda.
Se declara e te deseja.
Insinuando o amor
de António Manuel dos Santos Fernandes - Homenagem

O meu comentário?
Abrir bem os braços e
deixar que me abraçes e me ames..........
Deixar o corpo falar e
brindar-te com um sorriso cúmplice...
Deixar fluir a ternura e envolver-te na minha paixão...
Numa homenagem aos teus e aos meus sentidos...

terça-feira, outubro 10, 2006

EXCLUSIVO

Um dia quente.
Quente!
Ao fim da tarde
A distância fraternal
Á ponte o poente
Escapa-se vermelho
E a música
É elevada, bela
Apaixonada.
Sentimento de António Manuel dos Santos Fernandes

O meu comentário??
A música ouve-se,
partilha-se em qualquer lugar...
E, porque não ao fim da tarde?
Num espaço e num tempo que é nosso,
em que podemos ser unica
e exclusivamente nós próprios....

sábado, outubro 07, 2006

POEMA DE AMOR

...
Um poema que seja só de amor, por amor, para ti meu amor
Um poema em que cada palavra esteja em ti e onde possa amar-te
Um poema aqui, neste poema e por amor
Um poema de querer amar-te!
Um Poema - de António Manuel dos Santos Fernandes

O meu comentário?
Tudo o que escrevo é por amor...
Por vezes, para ti; outras, por mim...
Por isso, cada palavra tem o seu próprio valor,
o seu próprio significado
descrevem o que eu sinto no momento em que as escrevo.
E sinto sempre AMOR...

quinta-feira, outubro 05, 2006

ARRASTAR PELA LAMA

Senhora!
Amor
É falar.
Sentir.
Querer.
Amor é servir.
Esse Amor
Que vós amais
Muito Mais
Aquele Dia - António Manuel dos Santos Fernandes
O meu comentário??
Quem é que não gosta de amar?
O amor na sua verdadeira essência
e não adulterado...
A pureza do sentimento em si...
Belo é; pena que o esqueçam e o arrastem pela lama................

quarta-feira, setembro 27, 2006

NUNCA ESTIVESTE

A última vez que te vi
Eu adormeci.
Fechei os olhos
E a última imagem
Que eu recordei
Como uma paisagem
Foi a tua.
Por um momento, cheguei mesmo a confundir-te com a Lua
Alguém de António Manuel dos Santos Fernandes

O meu comentário??
Nunca te confundi com a Lua ou com o Sol.
Viajei no auge da paixão até eles,
mas sempre com um olho na Terra..
Onde pensei que estavas à minha espera e
.....agora sei que nunca estiveste.............

sexta-feira, setembro 22, 2006

NUVENS ESCURAS

....
Outros em Abril passarão no pomar
Em que eu tantas vezes passei,
Haverá longos poentes sobre o mar,
Outros amarão as coisas que eu amei.
...

Sophia de Mello Breyner Andresen - Dia do Mar

O meu comentário???
Também eu amo o mar e é nele que me apoio quando nuvens negras explodem no meu caminho...
Quando penso que tudo acabou,
mas nada acaba,
porque o mar está lá e eu também......
Escuto-o, respiro-o, respeito-o e admiro-o...
Com paixão........

domingo, setembro 17, 2006

CHATA OU NÃO

...Mas um estranho que se atreva a criticar
ao de leve que seja, a nossa irmã,
e qualquer irmã digna desse nome o fará em fanicos.
Charlotte Gray
O meu comentário?
Só eu poderei dizer se ela é chata ou não..........
Porque na minha irmã não se toca...........
E há coisas que só nós sabemos
e nenhum estranho tem o direito de falar seja o que for..............

sexta-feira, setembro 15, 2006

RIR ATÉ ÀS LÁGRIMAS

Uma irmã sorri quando lhe contamos as nossas histórias
....pois ela sabe onde a adornámos com a fantasia
Chris Montaigne

O meu comentário???
Mas o que é uma história sem fantasia?
O que é brincar com uma irmã,
se não se contar histórias fantásticas e dizer depois,
que se inventou tudo e abrir uma perseguição louca com almofadas?
E lembrar-nos para sempre de como naquele dia, nos rimos até às lágrimas com a pessoa em quem mais confiamos no mundo?
A nossa irmã!!!!!

segunda-feira, setembro 11, 2006

PAISAGEM DA MINHA VIDA

Irmãos. Sim, somos apenas irmãs.
A nossa história não é heróica, nem sequer memorável.
Mas quando preciso de apoio, sinto-te serena ao meu lado.
E, sentirei sempre.
Helen Thomson

O meu comentário??
Fácil - impossível negar ou esquecer o apoio
que a minha irmã me deu
quando tu me sacudiste da tua vida..........
Mesmo que não concordasse com a minha decisão,
a minha irmã percorreu comigo os escuros corredores
que a tua ausência escavou na paisagem da minha vida....

sexta-feira, setembro 08, 2006

DESPONTAR A MADRUGADA

- O resto é perguntar à natureza -
se a noite vai além da madrugada
de António Botto
O meu comentário??
E o que devo perguntar eu à natureza???
Se sei que a minha noite termina mesmo com o despontar da madrugada...

domingo, setembro 03, 2006

OCUPAR

.............
Mas vão-se tingindo com o teu amor
as minhas palavras.
Ocupas tudo, amada, ocupas tudo.
Vou fazendo de todas um colar infinito
para as tuas brancas mãos,
suaves como as uvas
Pablo Neruda - Vinte Poemas de Amor e Uma canção desesperada
O meu comentário?
Também eu pintei as minhas palavras com o amor que te dediquei,
lembro-me de cada um dos teus sorrisos e sussuros.............
No entanto, não sei se te "ocupei" verdadeiramente...........
Só sei que tu me "ocupaste".....................................................

sexta-feira, setembro 01, 2006

CHEIRO DO AMOR

Amor é a tempestade do prazer e o encanto da doçura” – Autor desconhecido

O meu comentário??
Foi realmente uma tempestade,
em que o vento me enfeitiçou durante longos passeios à chuva..
Docemente, os sentidos em alerta, o cheiro do prazer de amar e me sentir amada...
O que o vento me trouxe, já me tirou..................
mas o cheiro ainda cá ficou.............

quinta-feira, agosto 31, 2006

CONVITE À TERNURA

Algumas palavras doces ciciadas ao ouvido são um convite à ternura
Autor desconhecido

O meu comentário??

Palavras doces me sussuraste e agora tudo o que tenho são recordações.
Das palavras, dos sussuros, da ternura com que me beijaste
e do meu coração aberto...........
Que aberto continua, porque vida nada é sem a ternura...
Seja por ti, por um irmão, um amigo ou até mesmo um pombo...........

domingo, agosto 27, 2006

AMOR ÚNICO

Aquele a quem o amor deu a vida jamais morrerá – Mohammed Hafiz
O meu comentário??
O amor também nos pode destruir.....
Não é pecado; não é uma utopia...
Existe - mas raros são os que amor para toda a vida encontram..
Mas e como:
William Thackeray
diz:
Há uma coisa que amamos acima de tudo; estarmos apaixonados
e aí, sim, tornamo-nos gigantes......

quinta-feira, agosto 24, 2006

LOUCURAS

O amor é cego para que os amantes não possam ver as gentis loucuras que
cometem
– William Shakespeare

O meu comentário?
Loucuras - o próprio amor é louco e gentil ao mesmo tempo...
Poderoso, faz-nos sentir gigantes
e nada mais vemos, porque o que o nosso coração esconde,
não há palavras para definir.

sexta-feira, agosto 18, 2006

TORRENTE

A ternura é dar-se sem moderação, é
tornar-se semelhante a uma torrente de
bondade e de amor
Autor Desconhecido
O meu comentário?
E foi assim que me deu....
Sei que o sentiste também e
porque é que agora recuas?
Abri os meus braços e o meu coração
e nada mais em troca peço!
Mas, se dúvidas ou medo tens, nada por ti posso fazer.....................................

terça-feira, agosto 15, 2006

Á ESPERA

A ternura não é uma fraqueza, mas uma
maneira de revelar um verdadeiro sentimento
interior
Autor Desconhecido
O meu comentário??
E aqui dentro ela fervilha....
À espera que me abraces e ma deixes dar-te....
Sei que a queres; porque é não caminhas até mim e nos fundimos numa paixão que queres negar, mas está presente?

segunda-feira, agosto 14, 2006

CÓPIAS

Há unicamente uma espécie de amor,
mas dela existem mil cópias diferentes
La Rochefoucauld

O meu comentário??
Conheci a pior cópia de todas...
aquilo não era amor...........
nem sei que nome dar...
A que agora encontrei, perfeita não foi...
mas foi suave e bonita me fez sentir...
E isso nunca esquecerei...........................

quarta-feira, agosto 09, 2006

SEM PENSAR

Amemos sem pensar
se nunca pensássemos seríamos sempre felizes....
Aquele que ama não tem necessidade em saber
que ama nem o que é o amor
nem sequer de pensar o amor
Fernando Pessoa
O meu comentário?
Unicamente ser-se feliz, abrir o corpo e alma ao deslumbramento e à fantasia...
Mesmo que dure um momento;
esse momento pode durar a eternidade...
Se pensarmos muito, então deixa de ter razão para ser amor......

segunda-feira, agosto 07, 2006

FÚRIA DO MAR


Ao longe por mim oiço chamando
A voz das coisas que eu sei amar.
E de novo caminho para o mar.
Sophia de Mello Breyner Andresen
O meu comentário??
Será que encontraremos a resposta para a nossa angústia e dor, olhando o mar?
Sentindo a fúria com que fustiga os penhascos, o horror que desenha com a espuma na areia da praia???
A mim ajuda-me a pensar e tudo fica mais claro, mesmo num dia de tempestade...

quinta-feira, agosto 03, 2006

OS PORQUÊS


Em todos os jardins hei-de florir,
Em todos beberei a lua cheia,
Quando enfim no meu fim eu possuir
Todas as praias onde o mar ondeia.
Sophia de Mello Breyner Andresen

O meu comentário??
Força, vontade de viver - de que nunca devemos desistir!
Por vezes, sinto que estou próxima do abismo,
sinto que vou desistir......
Qualquer coisa faz com eu "regresse", "possua",
"desenterre" o que escondo e não quero ver e
continuo..........
Não, não me posso debruçar
sobre os porquês
e os quês!!!

segunda-feira, julho 31, 2006

SILÊNCIO DO CORAÇÃO


Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor
já se não passa absolutamente nada.
E no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coração.

Eugénio de Andrade "Os Amantes sem Dinheiro"

O meu comentário??
Por vezes, temos essa sensação - de que esgotamos todas as palavras, todos os argumentos válidos para estarmos juntos.
Ficamos admirados por agora essas palavras estarem completamente vazias de sentido, tal como o amor...
Será??
Basta apenas escutar, o que muitas vezes, ignoramos
e isso é, realmente o silêncio do nosso coração.....

sexta-feira, julho 28, 2006

SEM CONDIÇÕES


Não digas o teu nome: ele é Esperança
vai até aos que sofrem sozinhos
à margem dos dias
e é a palavra que não escrevem
sobre as quatro paredes do tempo
o admirável silêncio que os defende
ou o sorriso o gesto
a lágrima que deixam nas mãos fiéis
Alexandre O’Neil

O meu comentário??
A esperança - por vezes, a única coisa que nos prende à vida.
Por vezes, é bastante exigente, porque quando se sofre sozinha, é porque se está isolada do mundo e não sabe como quebrar uma barreira, que nós próprios impusemos e não deixamos derrubar.
Talvez, porque alguém nos amordaçou,
traíu e realmente a esperança é tentar confiar novamente....
Porque há anjos e pessoas que têm o coração aberto para amar sem condições...

terça-feira, julho 25, 2006

DECLARAÇÃO DE AMOR

Em teu macio olhar
repousa o meu.
E na face polida assim formada
se reflecte e recria
o próprio céu
Daniel Filipe - A Invenção do Amor e Outros Poemas

O meu comentário?
Perante tal declaração de amor, quem é que fica indiferente e se nega a amar?
O meu olhar reflectiu e recriou mil vezes a face dele e escreveu o nome dele no céu, com a ajuda das estrelas...
Não sei se ele viu..............

terça-feira, julho 18, 2006

SONHAR

Os brilhos que na noite vêm
são dos olhos dos que sonham,
viagens pelos mares de outras águas
são os que não gostam de se elevarem
no ar sobre os antigos oceanos
e amam os pequenos riachos e o
fundo invisível dos poços
Matéria Simples - Fiama Hasse Pais Brandão

O meu comentário?
Sonhar, procurar um local com qual seja fácil identificar-nos, encontrar a beleza nos sítios mais simples.
Porque a vida é isso mesmo - simplicidade, mesmo observando o fundo de um poço, quem sabe com histórias de amores e desencontros, dramas e comédias....
Histórias que ninguém pode contar, mas apenas imaginar

terça-feira, julho 11, 2006

NUNCA O NOME

Antes de um lugar há o seu nome. E ainda a viagem
até ele, que é outro lugar
mais descontínuo.......
De Maria do Rosário Pedreira - A Casa e o Cheiro dos Livros
O meu comentário?
É nessa viagem que, por vezes nos perdemos.
As ilusões caem por terra - desfazem-se em pó, ficam em cinzas, levadas pelo vento.
Mas, nunca o nome, nunca a nossa identidade, nunca quem somos e o que queremos ser.
Quase me esqueci disso e a ferida custou a fechar.........

terça-feira, julho 04, 2006

RECONSTRUIR

..de todos os momentos guardo este: e ainda um outro
em que os meus passos se ouviam já no asfalto,
mas os olhos permaneciam nesse lugar onde apenas se repetem
as ondas, as algas, os avisos do vento
de Maria do Rosário Pedreira - A Casa e o Cheiro dos Livros

O meu comentário??
A vida e o amor são feitos de momentos; neste caso, de perda!
Talvez porque fomos egoístas e não soubemos apreciar esses momentos.
Agora é como se tivessemos perdido a esperança, a vontade de viver....
Mas guardar memórias, aprender com elas e reconstruir um outro futuro é possível!

terça-feira, junho 27, 2006

ALICIANTES

É nas linhas das mãos que os deuses escrevem
os mais belos romances. Nas nossas, porém,
somente elaboraram um divertimento, um
esboço, um rascunho, nem sequer literatura
de Maria do Rosário Pedreira - A Casa e o Cheiro dos Livros

O meu comentário??
Terminar uma relação é sempre difícil e não sei realmente se as linhas das mãos definem a nossa vida.
O amor é feito de esboços, de rascunhos e raramente se torna literatura - porque o amor, como a vida, é feito de mistérios, de desencontros que o tornam aliciante....

sexta-feira, junho 23, 2006

RAIZ DO AMOR

Ei-la a cidade prometida
esperamos por ela tanto tempo
que tememos olhar o seu perfil exacto
flor da raiz que somos, meu amor
de Daniel Filipe - A Invenção do Amor e outros Poemas
O meu comentário??
O amor é uma cidade?
Talvez - é algo que cresce em nós, que segue os nossos passos e morre connosco.
É, o amor é realmente a raiz da nossa vida!

terça-feira, junho 20, 2006

FORMA DE AMAR

Li um dia, não sei onde,
Que em todos os namorados
Uns amam muito, e os outros
Contentam-se em ser amados...
De Florbela Espanca - Quem ama e quem é amado?

O meu comentário?
Creio que, de uma forma ou outra, todos amamos alguém ou alguma coisa...
Muitas vezes, a ideia que cada um faz do amor difere da do parceiro, mas o fundamental em qualquer relação, é o respeito e a vontade para que tudo tenha um sentido.
Essa é uma forma de amar........

domingo, junho 11, 2006

CANTAR AMOR

Descerro a aurora com
palavras graves, cantando.
Reinvento a melodia, o sol aberto,
o amor pelas esquinas, a marca sensual
nos ombros nus, a memória da infância,
a tua face - e canto.
Inutilmente embora, canto
De Daniel Filipe - A Invenção do Amor
O meu comentário?
Continua a achar que nada no amor se inventa.
Apenas se sente - deixando o peito aberto para receber o que a sensualidade nos vai revelando.
Moldando-nos, aprofundando-nos os sentidos e desfazendo-nos os medos!!!

terça-feira, junho 06, 2006

O AMOR INVENTA-SE????


Um homem e uma mulher que tinham olhos e coração e fome
de ternura e souberam entender-se sem palavras inúteis
Apenas o silêncio A descoberta A estranheza
de um sorriso natural e inesperado
de
Daniel Filipe - "A Invenção do Amor e Outros Poemas"

O meu comentário?
Quando a paixão e o amor falam mais alto, as palavras são realmente inúteis - apenas dão voz à verdade viva dos olhos e do corpo!
O silêncio já registou, ocultou tudo e apenas o sorriso denuncia aos olhos dos outros a chama que ali está a viver!

quinta-feira, junho 01, 2006

SER INFINITO

..........................
Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
Vinícius de Moraes - Soneto de Fidelidade

O meu comentário??
Se é infinito, não devia acabar!
A triste verdade é que, por vezes, termina!
Talvez o infinito aqui signifique único!
Talvez porque a forma de amar não se repete!

segunda-feira, maio 29, 2006

PERDER DE NOVO

Para ser grande, sê inteiro; nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive
de Fernando Pessoa (não sei como se chama. Encontrei-o na página 545 do Codex 632 de José Rodrigues dos Santos)

O meu comentário?
Nunca nos devemos anular!
Por muito incerta que a certeza possa ser, devemos ser procurar encontrar o lugar onde nos sentimos mais seguros, que nos permite criar, desenvolver a raiz do nosso ser.
Muitas vezes, esqueci-me disso; agora, não!
Seria perder tudo novamente e eu, já perdi demais para deixar escapar as novas oportunidades!