sábado, setembro 04, 2010

DOCEMENTE

Lágrima marota
Caí no meu rosto
E vai rolando...
De mansinho...
Por toda a cara..
Vai saboreando...
E vai deixando
Um pouco de água
Um pouco de sal...

Sal de amargura...
Mas que é necessário...
E, assim vou ficando
Com o rosto mais doce...
Com o rosto molhado
E vou sentindo...
Lágrima marota.
O teu rolar...
E vou gostando
Que te sirvas de mim
Para te acostares...
E quando quiseres
Podes voltar!....

"Lágrima" de Lili Laranjo do blog "África em poesia"

O meu comentário???
Resignação ou saudade???
Ou são apenas lágrimas que adio,
que por vergonha, não solto?
Não sei...sinto-as desesperadas,
sufocadas nesse abraço,
que dou em mim,
inconsciente do mal que faço.
Porque as lágrimas devem rolar,
devem aliviar a dor...
Se, pelo sal, ferem a pele,
trazem a paz bendita,
docemente...

quinta-feira, setembro 02, 2010

ESPERANÇA

O Céu azul, não era
Dessa cor, antigamente;
Era branco como um lírio,
Ou como estrela cadente.
Um dia, fez Deus uns olhos
Tão azuis como esses teus,
Que olharam admirados
A taça branca dos céus.
Quando sentiu esse olhar:
"Que doçura, que primor!"
Disse o céu, e ciumento
Tornou-se da mesma cor!

De Florbela Espanca in "Trocando Olhares"

O meu comentário???
Para quê o ciúme???
Torna a dor mais profunda,
porque o azul é infinito..
E a tela da vida
apenas retrata parte....
A tonalidade do céu é perfeita;
a nossa nem sempre....
As estrelas cadentes, os lírios....
Sinal de harmonia,
raramente visto e sentido....
O ciúme que devemos apagar ~
da memória....
E nunca deixar
que manche o azul...
Sempre um recomeço,
uma esperança....