sexta-feira, maio 06, 2005

ESCREVINHAR

Escrever é procurar corresponder ainda que não se saiba a quê ou se esse quê existe.
A nossa liberdade nasce de uma incerteza radical e a sua metamorfose é a invenção de um espaço
de correspondências que visam uma esfera inviolável.
GÉNESE - António Ramos Rosa

Com uma caneta na mão, escrevemos tudo o que os olhos registam e o que pensamos que está escondido.
Encontramos novas definições sobre o que é verdadeiramente escrever - talvez seja mesmo a procura do Santo Graal!
Para mim, basta uma palavra para partir à descoberta, como Colombo, de um mundo novo, mas ainda não cheguei ao fim da minha viagem!
Nem sei se algum dia chegarei ao fim!

segunda-feira, maio 02, 2005

OBRIGADA

Escrevo não para saber mas para criar
um espaço de palavras que correspondem à ingenuidade da minha aspiração
que quer pisar um solo de claras pedras e vibrar
ao ritmo de uma duração monótona e solar
equivalente à hora e ao espirito do olvido e da ignorância aberta

GÉNESE - ANTÓNIO RAMOS ROSA

Escrever é realmente criar o nosso espelho, onde pomos a nú os nossos medos, as nossas esperanças!
Escrever é realmente vibrar com o que de melhor reina aqui, dentro do nosso coração, a flor do nosso riso e do tempo em que controlamos a nossa vida.
Obrigada por me explicarem isso!