quinta-feira, agosto 13, 2009

ESTAR PRESENTE

Bilhete para o Amigo Ausente

Lembrar teus carinhos induz
a ter existido um pomar
intangíveis laranjas de luz
laranjas que apetece roubar.

Teu luar de ontem na cintura
é ainda o vestido que trago
seda imaterial seda pura
de criança afogada no lago.

Os motores que entre nós aceleram
os vazios comboios do sonho
das mulheres que estão à espera
são o único luto que ponho.

Natália Correia, in "O Vinho e a Lira"

O meu comentário???

Se a tua ausência me marca...

Nunca deixarás de estar presente...

Não me esvazias os sonhos...

....nem me visto de luto...

Vivo com teu carinho, no teu riso....

Até eu própria deixar de estar presente...

quarta-feira, agosto 12, 2009

FATAL

Saudade




Saudade já saudade


antes saudade


amor de te não ver


porque pressinto




se sinto que te ter


é não saber


distância já agora


e que não minto




Amor de que me calo


e te não digo




amor já saudade


já instinto




Maria Teresa Horta (Livro "Poesia Reunida)




O meu comentário???


O instinto que previne...


O instinto que se ignora...


Fatal....


no silêncio em que nos mergulha a saudade...


Porque ninguém mente....


Ao acabar o amor no calor...


Do dia que se derrete na noite e a torna nossa inimiga...


Porque não se disse???


Regressamos ao medo e à saudade....


segunda-feira, agosto 10, 2009

QUEM TU ÉS

PRESENÇA

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.


Mário Quintana



O meu comentário???


Abrir a janela e conversar com o vento....


Porque sabe quem tu és...


É capaz de te descrever melhor do que eu


- as tuas virtudes, os teus defeitos...


Porque não te amou tanto como eu....


E as saudades nada lhe dizem...


Porque eu continuo presente


no ciclo de vida em que ele se arrasta..