quarta-feira, agosto 12, 2009

FATAL

Saudade




Saudade já saudade


antes saudade


amor de te não ver


porque pressinto




se sinto que te ter


é não saber


distância já agora


e que não minto




Amor de que me calo


e te não digo




amor já saudade


já instinto




Maria Teresa Horta (Livro "Poesia Reunida)




O meu comentário???


O instinto que previne...


O instinto que se ignora...


Fatal....


no silêncio em que nos mergulha a saudade...


Porque ninguém mente....


Ao acabar o amor no calor...


Do dia que se derrete na noite e a torna nossa inimiga...


Porque não se disse???


Regressamos ao medo e à saudade....


5 comentários:

a magia da noite disse...

a saudade será sempre a dor da paixão, calada, silenciada e sofrida dentro da própria alma.

Lord of Erewhon disse...

O teu consegue ser melhor; mas o dela é muito mau.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA MARTA, QUANTA SAUDADE JÁ TINHA DE PASSAR PELO TEU MARAVILHOSO ESPAÇO... ADOREI AMIGA... ABRAÇOS,
FERNANDINHA

FOTOS-SUSY disse...

OLA
MARTA,LINDA REFLEXAO AO AMOR QUE SE TORNA SAUDADE...
BEIJIOS NA ALMA!!!


SUSY

Graça Pires disse...

Um belíssimo poema da Teresa Horta, com o teu lúcido comentário.
Gostei muito.Um beijo.