quinta-feira, dezembro 25, 2008

INCONDICIONAL




Como te amo? Deixa-me contar de quantas maneiras.
Amo-te até ao mais fundo, ao mais amplo
e ao mais alto que a minha alma pode alcançar
buscando, para além do visível dos limites
do Ser e da Graça ideal.
Amo-te até às mais ínfimas necessidades de todos
os dias à luz do sol e à luz das velas.
Amo-te com liberdade, enquanto os homens lutam
pela Justiça;
Amo-te com pureza, enquanto se afastam da lisonja.
Amo-te com a paixão das minhas velhas mágoas
e com a fé da minha infância.
Amo-te com um amor que me parecia perdido - quando
perdi os meus santos - amo-te com o fôlego, os
sorrisos, as lágrimas de toda a minha vida!
E, se Deus quiser, amar-te-ei melhor depois da morte.

de Elizabeth Barrett Browning



Poema enviado por Álvaro Gonçalves do blog Perfil


O meu comentário????

Porque me inspiras....

Chamas por mim com a força que pensava ser exclusiva do Sol...

Nessas noites de chuva grossa...

Com olhares sedutores...

Com a lareira acesa...

As chamas, cúmplices desse amor total...

Que renasce.....
renova-se....
todas as vezes que me sorris...

Porque me amas com alma...

A mesma alma que se uniu à minha....

E me libertou....
Incondicionalmente.......





terça-feira, dezembro 23, 2008

CONTINUAR A VOAR

A PRETO E BRANCO

Eu gosto do preto e do branco.
Por que essas cores me remetem ao meu passado.
E volto a sentir-me como um pássaro calejado
Que, de tanto voar.
Na vertigem de um céu tão cinza
Esqueci-me de sentir e amar
O leve gosto da brisa.
Mas lá ao longe...
na linha do horizonte
Respiro as cores do arco irís..





By Zita do blog "Momentos Dispersos"

O meu comentário???


Abraço o meu corpo....



Sinto-me hesitante.....



Surpreendo-me com o impacto da brisa no meu rosto...



Quando os meus olhos se fixam no horizonte...



Nas cores que o riscam....



Sorrio, encantada....



Estou cansada...



Não tenho descanso....ando sempre a correr....



Atrás de quê??? ...........



Já nem lembro.....



Mas hoje parei.....



Reparei.....



O preto e o branco - a base de tudo.....



Onde posso derramar todas as cores do arco-irís.....



E continuar a voar................





segunda-feira, dezembro 22, 2008

O ECO


não sei se acordei o dia com a inquietação que me corre no sangue.
sei que desassosseguei a noite.
sei que a cama não me descansou o corpo que me pede o teu.
na escuridão da noite revolvi os lençóis.
chamei o teu nome!
recebi-o de volta no eco de muitas vozes,
iguais à minha
e entrava outra vez na minha boca.
o teu nome,
apenas,
foi o que esta noite me saciou de ti.





Poema enviado pela Tufa Tau do blog com o mesmo nome










O meu comentário????






Tudo o que resta.....





No eco....





Um nome que não esquecemos....





Inscrito no fundo da alma...





Essa alma que se defende durante o dia....





Tem medo da noite.........





Adormece-se agarrada a memórias....





Que o tempo tenta gelar...





Teima-se no reencontro com essas memórias.......






Porque é realmente o que resta..........