sábado, junho 09, 2007

PARTIDA


De repente, não mais que de repente

Fez-se de triste o que se fez amante

E de sozinho o que se fez contente.


Fez-se do amigo próximo o distante

Fez-se da vida uma aventura errante

De repente, não mais que de repente.


Vinicius de Moraes – Soneto da Separação (excerto)


O meu comentário??

Sem qualquer explicação...

Acontece....

simplesmente mudar as prioridades, o estilo, a vida em si.............

Porque nós próprios mudamos...

Evoluímos....

estabelecemos um outro ritmo... acompanhamos novos amigos....

Às vezes, sentimo-nos tão sozinhos....
há lacunas....que nunca mais se preenchem...
De repente, desejamos voltar ao ponto de partida.............................

quinta-feira, junho 07, 2007

REDE

Cecília Meireles – CANÇÃO MÍNIMA

No mistério do sem-fim
equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro;
no canteiro uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,

entre o planeta e o sem-fim,
a asa de uma borboleta.
O meu comentário???
O ciclo da vida, será??
Estamos todos ligados - uma rede invisível...
Um circulo....
Giramos à volta...de objectivos...
Procuramos um sentido...
Exploramos alternativas...
Sempre...sem olharmos para a beleza da borboleta...
Há qualquer coisa bela no planeta....
E cá dentro...todos o somos...............

terça-feira, junho 05, 2007

BRINCADEIRAS


Havia um anel, lembro-me bem...
E havia um amor, que fim levou?
..................................................................
Na calçada a ciranda vai e vem...
"...era pouco e se acabou."

A CIRANDA (excerto) de Graciette Salmon
O meu comentário??
Ilusões...
Brincadeiras infantis....saudades....
Tempo que passa...
Que se esconde...
Tal como a ciranda..... continua a girar...
levanta o vento, enfurece o mar...
Apenas ficam as memórias do passado...
Em que nada havia......
apenas brincadeiras e risos...........