sexta-feira, julho 04, 2008

PACIÊNCIA

Se cada dia cai




Se cada dia cai, dentro de cada noite,



há um poço



onde a claridade está presa.






há que sentar-se na beira



do poço da sombra



e pescar luz caída



com paciência.




Pablo Neruda (Últimos Poemas)



O meu comentário???



Paciência....nem sempre temos....



Exigimos demais...



Queremos demais....



Ás vezes.....nem sabemos bem o quê e para quê....



Loucuras da juventude????



Receios da velhice???



Um dia, chega...



Acorda outros demónios......



Mostra outras tonalidades da luz....



Vislumbra-se uma certa esperança....



Uma certa paz.....um certo savoir-faire.....



Ajuda-nos a afastar esses demónios....



Pacientemente...

quinta-feira, julho 03, 2008

LUTAR

Walking Around


Acontece que me canso de meus pés e de minhas unhas,

do meu cabelo e até da minha sombra.

Acontece que me canso de ser homem.


Todavia, seria delicioso

assustar um notário com um lírio cortado

ou matar uma freira com um soco na orelha.

Seria belo

ir pelas ruas com uma faca verde

e aos gritos até morrer de frio.


Passeio calmamente, com olhos, com sapatos,

com fúria e esquecimento,

passo, atravesso escritórios e lojas ortopédicas,

e pátios onde há roupa pendurada num arame:

cuecas, toalhas e camisas que choram

lentas lágrimas sórdidas.


Pablo Neruda



O meu comentário???



Desalento...fúria, revolta escondida nesse cansaço...



Por vezes, dele me torno vitima...



Não é por causa do calor...



Não é pela rotina....



A dor...



Ninguém nos ouvir....



Nos sentir ou abraçar............



O tempo arrastar-se com perguntas...



Perguntas que sabemos....

.......são infantis....inúteis...



E cansativas.....



Porque deixamos de lutar..................



terça-feira, julho 01, 2008

EXISTÊNCIA

Tu eras também uma pequena folha

que tremia no meu peito.

O vento da vida pôs-te ali.

A princípio não te vi: não soube

que ias comigo,

até que as tuas raízes

atravessaram o meu peito,

se uniram aos fios do meu sangue,

falaram pela minha boca,

floresceram comigo.


Pablo Neruda

O meu comentário???



Nova declaração de amor....



A quem nos conquista devagar....



Com pequenos gestos....



Pequenos sorrisos...



Palavras simples....



Sempre presente....tão gravada na nossa vida...



Parte dela....ao descobrirmos....



Descobrimos a existência da nossa vida........

segunda-feira, junho 30, 2008

O QUE DIZER MAIS

a tua ausência é. em cada momento, a tua ausência.

não esqueço que os teus lábios existem longe de mim,

aqui há casas vazias. há cidades desertas. há lugares.


mas eu lembro que o tempo é outra coisa, e tenho

tanta pena de perder um instante dos teus cabelos.


aqui não há palavras. há a tua ausência. há o medo sem os

teus lábios, sem os teus cabelos. fecho os olhos para te ver

e para não chorar.


José Luis Peixoto


O meu comentário???


Que mais posso eu dizer???


A dor da ausência....as recordações....


O vazio....nada preenche....


Fica-se sem saber o que fazer, dizer ou pensar....


Continua-se a amar....


E a ter saudades.....


E a sentir a presença............