sexta-feira, novembro 14, 2008

A BUSCA

Sem título - 3




Solitário, o rochedo,


Inquieto, asa de gaivota


Para ninho


Apenas lhe falta o Amor




Agostinho Gomes (Livro "Janela - E rua e mar ao fundo")





O meu comentário???





A solidão....





A que está enraizada na alma...





A que deixamos que se enraize....





Diferente?





Porque temos medo de amar...





Porque exigimos demais....





A perfeição???





Mas o que é a perfeição??





Se nunca vamos descobrir o que é...





Verdadeiramente.....

quinta-feira, novembro 13, 2008

SEM

Sem título - 1




No dealbar de novo dia,


Que depor no teu regaço?


-Uma ternura infinita,


Um cesto cheio de abraços




Agostinho Gomes


(Livro "Janela - E rua e mar ao fundo")






O meu comentário???





Um abraço...


Numa declaração infinita....


Porque é o que há no coração...


Essa ternura sempre escondida...



Só nossa....



Sem quaisquer hesitações....



Sem quaisquer entraves....


Sem perguntas....


quarta-feira, novembro 12, 2008

ESPERAR

Por ti, esperarei, esperarei..


E sei


Que até ao meu coração virás


Apenas ignoro - que importa? -


De que longes, de que caminhos,


De que cerros ou descaminhos


- Encontro tardio! - surgirás.




Qualquer que seja a maneira,


Hora-luz bendita a que te traz,


Candeia de negras noites,


Acha quente de lareira,


Seara das minhas fomes


Meu arco-íris de Paz




Esperarei por ti de Agostinho Gomes


(Livro "Janela - e rua e mar ao fundo")





O meu comentário???





Quem não espera???





Quem não se apressa na noite fria para receber tal abraço?





Sentir todo esse amor...





..........essa Paz vibrante...





Na alma....os desejos completam-se...





Calam-se os segredos....





Fala-se apenas da Paz...





Estar com quem espera...





E nos espera com Amor.....

segunda-feira, novembro 10, 2008

O DESTINO

Branco de Neve


Branco de neve

um barco

no Verão


Branco de neve

uma pintura

a apodrecer


Um buraco preto

deixa adivinhar

ao olhar curioso


A cor desconhecida

do destino escuro

deste barco


Poemas de Isabelle Lebastard (Livro "Destino de Peixe")





O meu comentário???



O destino....



Desconhece-se.....



Adivinha-se....



Sem cores....



Pintar o destino???



Será possível???



Imagina-se apenas....



Porque escuro....

....continua a ser o destino....



Tal como um barco fica a aprodecer na praia...



Quando encalha.....