quarta-feira, maio 13, 2009

O QUE PERDI

O Oculto do Aparente


às vezes corremos tanto

atrás de uma felicidade

sem que percebamos onde

ela está


quem sabe, se nessa pressa,

eu não a tenha deixado para trás

inobservada em algum ponto

distante do meu passado


de Alceu Brito Corrêa (II Antologia de Poetas Lusófonos)


O meu comentário???


O que perdi realmente?
O que queria verdadeiramente?
O que ficou?


Lágrimas
A noite
O tempo sem nada
Vasculhar agora o passado?
Ou esquecer esse passado simplesmente??
Perdi as esperanças nas respostas...
Não as encontro no passado...
Por isso.....perdi o quê???

terça-feira, maio 12, 2009

QUEM ME FALA DE AMOR

Quem me fala de amor

É um amor-perfeito

Perfeito na profusão das cores

Brilhantes e aveludadas

Contudo, por entre os amarelos e os vermelhos

Destoa o violeta

Morre com o preto

Deslumbra-se com o branco

Com a frescura das manhãs

Até com o cheiro da relva

E com o orvalho

Sabe que o esquecem facilmente

Ou talvez não

Ás vezes, é o tempo que murcha mais depressa


======================


Isto é a minha resposta ao meu desafio..

Quero agradecer à Entremares, à Fernanda Costa, à Isabel e à Graça Pires

por terem colaborado..

Escrevendo este poema

Quem me fala de amor

É um amor perfeito

Seja ele nuvem ou gente,

bela orquídea ou mera semente, (Entremares)

Ainda tinha o condão de sentir dor
Vislumbrava uma luz no infinito (Fernanda)

De mãos dadas seguiremos

e sempre nos amaremos! (Isabel)

No coração da noite te procuro

presença sem rosto e sem voz. (Graça Pires)

O desafio continua aberto (ver post anterior);

por isso, estejam à vontade para responder..