sexta-feira, março 02, 2012

ESTRANHA

Dizem os indígenas
que, com todas estas maquinetas,
nos roubam a alma.
Talvez seja por isso que eu desapareci,
já que foi roubada a minha alma.
E o meu corpo?
Ficou preso
neste retrato a preto e branco.
Vejam as minhas vestes pretas e pesadas.
Estes olhos grandes, igualmente negros,
numa cara estranha, fora de moda,
com a pele muito branca.
O que seguro nas mãos?
Para quem olho?
Como me chamo?
Ai, que vontade,
como eu gostava que tudo fosse diferente,
fosse eu a olhar para este retrato e,
sobre ele,
escrevesse a minha história de fantasmas.


POEMA DE MINHA AUTORIA
DIREITOS DE AUTOR RESERVADOS



 IMAGEM DA NET

terça-feira, fevereiro 28, 2012

POETAS DA IMAGINAÇÃO

Sou o poeta de imaginação.

Os meus poemas sucumbem ao charme do Vento

e em breve os esqueço.



Escrevo mais e vejo-os rodopiar no tempo.

O meu tempo de criança traquina.

Pois, hoje pensei em nós.



Nós, crianças.

Ladrões, piratas na descoberta desse EU..

Esse EU maravilhoso e mágico que é a VIDA.

 POEMA DE MINHA AUTORIA
DIREITOS DE AUTOR RESERVADOS
 IMAGEM DA NET