domingo, dezembro 28, 2014

SIMPLESMENTE




TELA DE GREG OLSEN



Quem diz?
Que a noite não é uma sedutora...
Quem diz?
Que o tempo não tem memórias...
Quem diz?
Quem diz... não sabe o que diz
Ou não vive simplesmente...





domingo, dezembro 21, 2014

PENA






FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

Tentei escrever uma história de Natal...
Mas eis que as palavras
soam rebuscadas, distantes
e nada na história tem alma...

Não me apresso a voltar para casa...
Nem mesmo quando a Lua mo pede...

Talvez a Lua tenha pena de mim,
de me ver tão só, numa rua deserta,
onde só ecoam os meus passos...

Mas eu não me importo...
Nada tenho a declarar, porque hoje...
Só existo eu e os meus fantasmas...




A todos os meus amigos, 
Festas Felizes
Estarei ausente uns dias; 
volto no dia 28.


segunda-feira, dezembro 15, 2014

DECLARO






Esta noite,
as palavras declaram-se...
Tranquilamente...
Como o pôr-do-Sol...



TELA DE S HARDING

sábado, dezembro 13, 2014

LONGOS E SOMBRIOS



Ah,
esses dias felizes
em que dominávamos o Mundo...
E nada sabíamos sobre memórias...
Hoje,
os dias são longos e sombrios...
O Mundo é agitado e egoísta...
E eu...
Não me reconheço e naufrago
nas memórias desse tempo,
em que a minha palavra era lei...




DA PÁGINA “DISCOVER ART”

quarta-feira, dezembro 10, 2014

PENSAMENTO




Não há nada a dizer
Quando o Vento nos desfaz os sonhos
E nos encontramos na escuridão,
numa solidão atroz...



FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

sábado, dezembro 06, 2014

LONGE



Esta noite
volto a sentar-me
na posição de Buda...
A mão esquerda em cima da direita
O Sol a afirmar-se...
A Lua a suplicar atenção...

Sinto-me leve...
Talvez longe do Mundo..
Mas apenas sei
que não estou longe de mim...



TELA DE JOHN WILLIAM GODARD

quarta-feira, dezembro 03, 2014

HISTÓRIA IMPOSSÍVEL




Inspira-me o Vento
Uma história impossível
Que conto
nesse palco infinito que é o céu...



FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

domingo, novembro 30, 2014

ESTRANHA MENTIRA




Estranho
Falar-se sobre a mentira
Escondida no sorriso
de quem diz que não mente...
Nos pensamentos de quem
distorce sempre a verdade...
Talvez porque tenha medo
de a enfrentar...
Mas não há nada de estranho
em falar-se da mentira...
Existe...
Estranho é
haver sempre quem a negue...




FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

quinta-feira, novembro 27, 2014

O MEU SONHO





Tela da Página “DISCOVER ART”


O que posso dizer sobre o meu sonho?
É tão privado que não encontro as palavras certas para o definir...
Posso falar do que me faz esquecer...
Como estimula a mente e a faz sair do torpor em que se encontra às vezes...
Ou do sorriso que aparece por entre as lágrimas.
Mas não sei como falar do meu sonho; tive tantos e nunca concretizei um que fosse...
Desesperei-me, revoltei-me, mas depois percebi que a verdade é essa.
São sonhos, confortam-nos.
E é tudo o que me resta – o conforto de um sonho.
Nos sonhos, posso ser invencível.
Pirata, princesa ou mesmo um fantasma e assombrar a vida dos outros, mas depois acordo.
E acordar é quase sempre terrível.
É um fardo, uma angústia, uma queimadura que nunca cicatrizará.
Pela arrogância, pela agressividade de quem não sabe ou não quer sonhar.
Não posso, por isso, partilhar os meus sonhos e vivo-os apenas na minha mente.
Que ninguém perturba...
Onde as palavras vivem e as cores soltam-se, mesmo num dia de tempestade violenta.
O meu sonho é a poesia.
Revela-se, inspira-se no gesto mais insignificante, na palavra mais banal.
Torna-se sonho...
Num diálogo sempre vivo com o amor, com o desejo, com a alma...


Resposta a um desafio/passatempo da Editora Pastelaria Studios 
(publicado na colectânea com o mesmo nome)

segunda-feira, novembro 24, 2014

ABSOLUTA



Gosto
da lucidez do mar
em dias de tempestade...
Da certeza absoluta
com que domina a praia...
E do desejo,
que sabe,
que me enche o corpo...
Numa história inconfessável...





FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

sexta-feira, novembro 21, 2014

DO VERMELHO


Falar do Vermelho...

Porquê falar do Vermelho?
Defini-lo como a cor da paixão
ou do pecado?
Ou simplesmente achar
que é uma cor feliz...

Gosto do Vermelho
De o insinuar ao Azul,
de o deixar tropeçar no Branco...
Num sorriso transparente,
com alma...
Como só o Vermelho sabe ser...


TELA DE STEVE GOAD

terça-feira, novembro 18, 2014

SÓ EM TI




Provoco-te
na luz fresca do amanhecer...
Seduzo-te
nas palavras de sempre
Exponho-me
na paixão descontrolada
em que liberto o meu corpo...
E depois...
Fecho os olhos
e penso só em ti...



DA PÁGINA DISCOVER ART

domingo, novembro 16, 2014

O "ONTEM"



Gostava de falar
sobre o “ontem”...
Mas o “ontem”
é um País abandonado
Um deserto...

O “ontem” já não existe
Já não tem memória ou alma...
Tornou-se apátrida....


TELA DE MARIA PAVLOVA

quinta-feira, novembro 13, 2014

GRITOS E LAMENTOS



Acordo com a chuva...
Essa chuva miudinha e insistente
que arrasta as gaivotas até terra...
Ouço-as...
Num grito,
num lamento
que magoa a alma...
A minha alma...



IMAGEM DE AUTOR DESCONHECIDO

terça-feira, novembro 11, 2014

SER SEDUZIDO



Seduz
Deixa-te seduzir...
Pelo poema
que parece absurdo
por estar apenas escrito na mente
Pelo mar
que troça gentilmente de ti
quando se enrosca nos teus pés...
Pouca importa quem seduz
Quem fica seduzido
Deixa que sejas tu...



TELA DE CAROL MACDONALD

domingo, novembro 09, 2014

CARTA



Esta é uma carta
Apenas uma carta
Com palavras simples,
fáceis de entender...
Porque hoje
só quero olhar-te...
Sentir-te no meu olhar
Sem ter que escrever
palavras pomposas...


TELA DE MARK SPAIN

quinta-feira, novembro 06, 2014

BEIJO



Acordo
De um sonho mágico,
repleto de memórias felizes...

Reescrevi a história da Gata Borralheira:
bani a Madrasta Má e as Irmãs Maldosas
para o Inferno...

E o Príncipe?
O Príncipe...
Beijei-o apaixonadamente...



TELA DA PÁGINA “DISCOVER ART”

segunda-feira, novembro 03, 2014

QUEM SOU


Se sei quem sou?

Às vezes...
Imagino-me a libertar as ondas,
brandindo uma espada reluzente,
num sonho alegre, feliz....

Outras,
escorrego na traição perversa do Mundo
Questiono os meus valores
Deixo que o desânimo vença
num suspiro profundo, desesperado...
Pois... 
nesses dias,
nunca olho em frente....

  PAINTING BY CATHERINE DAVILLA

sábado, novembro 01, 2014

CONFESSO QUE



Confesso....
A minha paixão por ti em palavras intensas e poderosas.
Num poema arrebatado em cada olhar.

Confesso...
O desejo a explodir em cada beijo, em cada gesto com que me apodero de ti.
Em que me esqueço da razão, porque amar-te torna-me selvagem, incoerente...
Em si uma contradição, pois tenho medo de arriscar, de me expor.
Mas conto-te todos os meus segredos, desnudo-me...

Liberto-me, as palavras abraçam-se em mim, provocando-te.
Sorrindo-te nessa confissão aberta que é amar.

Não, nada tenho a confessar. Só te posso amar.
Nas palavras mais banais, no calor que se solta dos corpos, nos beijos loucos, escondidos de tudo e de todos.

Mesmo que isso soe a egoísmo...


TELA DE VICTOR NIZOVTSEV

Texto seleccionado e publicado pela Editora Lua de Marfim 
na Colectânea " Confissões" 
(Setembro 2014)


quinta-feira, outubro 30, 2014

SUSPIRO




Hoje
fala-se do suspiro
Que se escreve no ar,
numa mensagem um pouco esquecida...
Mas eu quero decifrar essa mensagem,
interrogar o porquê desse esquecimento...
E reinventar o suspiro,
numa história com um desenlace feliz....


TELA DE TRENT GUDMUNDSEN

segunda-feira, outubro 27, 2014

PRAZER ASSUMIDO




Dizem que sou louca
Talvez o seja de facto...
Quando improviso palavras
na escuridão da noite
e me inspiro nas memórias da brisa...
Quando tudo é um prazer assumido
nessa loucura de que falam...


Twilight Lovers” Rynita Mcguire

sábado, outubro 25, 2014

VIVA



Gosto de sentir o Vento
nas noites cálidas...
Como ele interrompe o meu silêncio
e o inunda com histórias....
Às vezes, macabras...
Outras...
deixa apenas que agradeça ao Mundo
o facto de estar viva...




TELA DE ROBERT KROEGLE

quarta-feira, outubro 22, 2014

O VENTO



Que notícias me trazes tu, oh Vento?
Há qualquer coisa que me escondes, porque não paras de brincar comigo!
Abres-me o casaco, puxas-me a echarpe e insinuas-te como um amante ardente aos meus cabelos! 
Oh, não, não deixes que sejam más notícias, Vento!
Deixa que feche os olhos e te siga! 
Não importa para onde; apenas quero sentir o que tu sentes, o que fazes quando os todos poderosos te desafiam e como proteges quem de ti não tem medo! 
Não, Vento, não tenho medo de ti!
Respeito-te, observo de longe as tuas fúrias, mas fico quieta, à espera que sossegues. 
Porque tu escutas-me, Vento e levas as minhas palavras aos ouvidos de quem também te sabe escutar!!!


FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

UMA DAS MINHAS PRIMEIRAS TENTATIVAS DE ESCRITA (EM 2004)

domingo, outubro 19, 2014

EXÍLIO



Esta noite,
escondo-me na escuridão
Porque me sinto frágil,
e nada tranquila...
Exilo-me na noite,
desvio o olhar do tempo
e esqueço-me...
Esta noite,
deixem-me ser
apenas uma sombra...



IMAGEM DE MARY QIAN