sábado, outubro 25, 2014

VIVA



Gosto de sentir o Vento
nas noites cálidas...
Como ele interrompe o meu silêncio
e o inunda com histórias....
Às vezes, macabras...
Outras...
deixa apenas que agradeça ao Mundo
o facto de estar viva...




TELA DE ROBERT KROEGLE

7 comentários:

Mar Arável disse...

Quase tudo se conquista

Sofá Amarelo disse...

O Vento lembra-nos sempre como estamos vivos, porque nos bate no rosto ou passa ela pele, quantas vezes interrompendo silêncios e contando histórias...

Daniel Costa disse...

Marta, o fato de se estar vivo, já é motivo para se gostar de sentir o bafejar do vento. Agradecer aos deuses e ao mundo.
Mais devido às revisões das provas do meu próximo novo livro, TOP SEVRET OLAVO, é que não tenho postado nem comentado. Estou a recomeçar hoje com comentários.
Beijos

Graça Pires disse...

Acordar todos os dias com esse sentimento grato de existir... Lindo. Marta.
Um beijo.

Cadinho RoCo disse...

Sinto singular apreço pelo vento.
Cadinho RoCo

Ailime disse...

Boa tarde Marta, que lindo poema!
O vento como que nos afaga e nos diz que lá fora há um mundo à nossa espera!
Beijinhos e bom domingo.
Ailime

Agostinho disse...

É o vento que move moinhos
que traz o desejo da palha:
uma cama singela nos valha!