sábado, outubro 20, 2007

QUASE PERFEITO

Há muito tempo já que não escrevo um poema
De amor.
E é o que eu sei fazer com mais delicadeza!
A nossa natureza
Lusitana
Tem essa humana
Graça
Feiticeira
De tomar de cristal
A mais sentimental
E baça
Bebedeira
Miguel Torga - Quase um poema de amor (excerto)
O meu comentário???
Uma declaração perfeita...
Suave, cristalina, graciosa....
Um verdadeiro poema...
Ao sentimento mais nobre....
Enche-nos o corpo - ilumina tudo...
Enfeitiça-nos realmente...................
Porque se sente...................................

sexta-feira, outubro 19, 2007

VALER A PENA

A mim mesmo pergunto, e não atino
Com o nome que dê a essa visão,
Que ora amostra ora esconde o meu destino...

É como uma miragem, que entrevejo,
Ideal, que nasceu na solidão,
Nuvem, sonho impalpável do desejo...
Antero de Quental - A Ideal (excerto)

O meu comentário??
Todos temos um ideal....
raramente se manifesta, se concretiza...
Arranca-nos suspiros,
gritos de raiva e dor contra o destino....
Contra a solidão,
contra sonhos que nunca terão forma.........
Apenas vivem em nós, fazem-nos sorrir....
Porque temos que ter ilusões....
sem elas.........não vale a pena....
Nem sequer olhar as nuvens..............

quarta-feira, outubro 17, 2007

POR ENQUANTO

Um dia, meu amor (e talvez cedo.
Que sinto estalar-me o coração!)
Recordarás com dor e compaixão
As ternas juras que te fiz a medo...
Aparição (excerto) Antero de Quental
O meu comentário??
E quem não tem medo do que sente?
O coração apressado....
sensações estranhas a percorrerem o corpo...
Sem saber porquê....
Sede, fome, sono....o que é isso???
Porque fico incapaz de falar, racicionar???
Quando se abre o coração...................
o mundo fica diferente....
A dor...por enquanto...
não vamos falar nela............

segunda-feira, outubro 15, 2007

AUSÊNCIA

És tu quem me conduz, és tu quem me alumia.
Para mim não desponta a aurora, não é dia,
Se não vejo os dois sóis azuis do teu olhar.
Deixei-te há pouco mais dum mês?, mês secular
E nessa noite imensa, ah, digo-te a verdade,
Iluminou-me sempre o luar da saudade.
Guerra Junqueiro - Carta a F. (excerto)
O meu comentário??
Amar com toda a alma...
Sentir-se despido...
Completamente envolvido na saudade,
perdido na dor da ausência...
Os dias são longos....
as noites ainda mais...
A dor intensifica-se....
a beleza fica como que esquecida......
Mas ficará o amor mais forte????

domingo, outubro 14, 2007

SIGNIFICADO

Agora que as palavras secaram
e se fez noite
entre nós os dois,
agora que ambos sabemos
da irreversabilidade
do tempo perdido,
resta-nos este poema de amor e solidão
Eduardo Pitta - Agora que as palavras secaram (Excerto)
O meu comentário??
Será que é só isso que resta?
A solidão?
Tempo perdido?
Mas amar não é tempo perdido....
É deixar envolver-se em sensações, viver em pleno....
Conhecer-se, ultrapassar fronteiras e barreiras....
É entrar na própria raiz....
Se as palavras secam....
é porque nunca encontram o verdadeiro significado.......