sexta-feira, novembro 30, 2007

PRESENTES

Tu eras também uma pequena folha
que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
Ao princípio, não te vi; não soube
que ias comigo,
até que as tuas raízes
atravessaram o meu peito,
se uniram aos fios do meu sangue,
falaram pela minha boca,
floresceram comigo.
Pablo Neruda
O meu comentário??
E não é o Amor assim???
Conquista-nos lentamente, testa os nossos limites...
Torna-se nosso cúmplice...
imprescendível...
Parte de nós e morre connosco....
Ou não....
Pode ser apenas uma ilusão, uma utopia...
Talvez porque não se abre o peito...
Não se abraça o mundo...
Eu abraço o mundo e às vezes,
recebo presentes inesperados..............

quarta-feira, novembro 28, 2007

RISO

Nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.
PABLO NERUDA
O meu comentário??
Amar assim...completamente...
Sentir a alegria...
Porque há luz no riso...
Esquece-se o frio do Inverno...
A chuva no Outono...
e o sol timido da Primavera
Quando o riso, livre, profundo, invade o ar...
atravessa os oceanos...
conquista-nos o coração...

domingo, novembro 25, 2007

DEVOLVER A ALEGRIA

DEVER DO POETA É CANTAR COM SEU POVO E DAR AO HOMEM O QUE É DO HOMEM:

SONHO E AMOR. LUZ E NOITE, RAZÃO E DESVARIO

PABLO NERUDA - Prólogo de Las Piedras de Chile***
O meu comentário?
O que devia pertencer sempre ao Homem
e que, por vezes ele esquece...
Troça de quem sonha...
Banaliza o amor...
Aterroriza a luz e foge da razão...
Esconde-se na noite....
clandestino quem luta contra quem quer destruir...
Uma coisa tão simples....
como devolver a alegria a quem está sozinho........
***Citação já colocada no blog, mas com comentário reescrito