sexta-feira, junho 26, 2009

AMAR TANTO

Há paredes escondidas no teu peito

Há paredes
escondidas no teu peito
que se erguem,
estremunhadas,
cada vez que o riso dorme.
Há um mar
que se arpoa no teu leito,
sem anzóis
à pesca de recatos
nos tapumes
insulados em lençóis,
cada vez que o sol inteiro
se rende ao azul
do teu sorriso.
Com o perfume do teu mar,
estou a pintar
portas e janelas
nas paredes
que nos separam,
para que o azul
se liquefaça no sol
do teu corpo despido
de epílogos.


De Nilson Barcelli (Blog NimbyPolis)


O meu comentário???


E eu sinta o teu na luz do pôr-do-sol..

O meu reencontro contigo na magia de que o tempo tem inveja...

Que essas portas e essas janelas sejam amplas...

Para que o sonho deixe de estar escondido e o mergulho no mar seja perfeito...

Nada nos pode separar nem o riso está adormecido...

Quando nos amamos tanto....

terça-feira, junho 23, 2009

TARDE

Abandono
Suas palavras pintaram
O fim
das nossas tardes
Vãos pensamentos náufragos
Atropelaram
As têmporas dilatadas
Cavalgantes
No riso do Vento
A calvíce
Soberba do Abandono
Daniel Medina (Livro "Pela Geografia do Prazer)
O meu comentário???
Fica o tempo....
Fica a solidão mais profunda...
A que não se procurou...
A que nos corta o ar e risca na parede...
Os nomes, o coração com as iniciais, a palavra "Amo-te"..
Porque, até isso, o Vento rouba...
Como se alguém lhe tivesse dito para esvaziar as memórias...
Lentamente....mas em breve, fica-se só com a tarde...
Como alimento da alma....