sábado, abril 14, 2007

DITO COM NUDEZ

O SEU SANTO NOME de

Carlos Drummond de Andrade

Não facilite com a palavra amor.
Não a jogue no espaço, bolha de sabão.
Não se inebrie com o seu engalanado som.
Não a empregue sem razão acima de toda a razão ( e é raro).
Não brinque, não experimente, não cometa a loucura sem remissão
de espalhar aos quatro ventos do mundo essa palavra
que é toda sigilo e nudez, perfeição e exílio na Terra.
Não a pronuncie.

O meu comentário???
Sim, poeta...
pronunciar amor só quando realmente o sentir.........
Amor é intimidade...
Solidão e vaidade interior...
Grandeza...Sorrisos, enigmas.....
Tudo isso é amor....
Nosso....só deve ser compartilhado
e dito com nudez, então....
A quem verdadeiramente amamos..................

quinta-feira, abril 12, 2007

GRITAR DE PAIXÃO

Eu regressarei ao poema como à pátria à casa
Como à antiga infância que perdi por descuido
Para buscar obstinada a substância de tudo
E gritar de paixão só mil luzes acesas
Regressarei de Sophia de Mello Breyner Andresen

O meu comentário??
Tantas vezes que regressamos....
Podemos fugir de tudo, menos da verdade que cá dentro há.........
A razão escapa-nos, por vezes,
mas buscá-la representa sempre um desafio.......
Sonhar que conseguimos.......
Mesmo que os pessimistas digam que o sucesso é pura ilusão....
Alguma coisa se conseguirá.......
Nem que seja....
só gritar de paixão.................

domingo, abril 08, 2007

ARAME


Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

de Mário Quintana

O meu comentário???
Como andar em cima do arame........
Nunca ter a certeza de nada.......
Apenas a certeza de que o Tempo existe....
Cartas, mensagens....
escreve, divaga, discursa, mas depois rasga, destroí, arrasa...
Numa questão de horas, minutos, segundo........
Resta, mesmo apenas, escrever poemas....
Talvez possam apaziguar o TEMPO...............