domingo, abril 08, 2007

ARAME


Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

de Mário Quintana

O meu comentário???
Como andar em cima do arame........
Nunca ter a certeza de nada.......
Apenas a certeza de que o Tempo existe....
Cartas, mensagens....
escreve, divaga, discursa, mas depois rasga, destroí, arrasa...
Numa questão de horas, minutos, segundo........
Resta, mesmo apenas, escrever poemas....
Talvez possam apaziguar o TEMPO...............

4 comentários:

as minhas palavras disse...

um poema triste?

que se passa amiga?

peço desculpa pela minha ausência, nao tenho tido dias faceis..

linkei-te no meu blog www.asminhaspalavras23.blogspot.com

um docinho para ti linda*

PEDRO disse...

Aqui também Marta!


Beijos.

Pedro.

tufa tau disse...

o tempo... a falta dele...
gostei

Alvaro Gonçalves disse...

Oi meu anjo,

Mais uma vez amei, mas acheio um pouco triste, que se passa?, estás bem?, meu anjo.
Espero que sim, sabes que podes contar com a minha amizade.
Desejos de bom fim de semana e uma semana cheia de luz em teu coração.
Bjokas mil e xi - corações.