quarta-feira, setembro 08, 2010

EXILADOS

O mundo diz-te alegre porque o riso
Desabrocha em tua boca, docemente
Como uma flor de luz! Meigo sorriso
Que na tua boca poisa alegremente!

Chama-te o mundo alegre, Ai, meu amor
Só eu inda li bem nessa alegria!...
Também parece alegre a triste cor
Do sol, à tarde, ao despedir-se do dia!...

És triste; eu sei. Toda suavidade
Tão roxa, como é roxa uma saudade
É a tua alma, amor, cheia de mágoa.

Eu sei que és triste, sei. O meu olhar
Descobriu o segredo, que a cantar
Repoisa nos teus olhos rasos d'água!...

Florbela Espanca in "Trocando Olhares"

O meu comentário???
Não sei a cor da minha alma hoje...
Não a sinto hoje....
fez voto do silêncio..
O Mundo está indiferente;
continua impetuoso...
Exila-nos,
nós porque estamos cheios de mágoa...
Sofremos com essa alegria que
nos pedem para partilhar.
Porque não é verdadeira;
não vem de dentro....
Até ao dia se apercebe disso e foge....
Ficamos sós, na noite,
à espera do que tarda...
Ou porque não existe
ou não sabemos procurar....

segunda-feira, setembro 06, 2010

CHEIRO DAS FLORES

Espreguiçados, os ramos
da palmeira filtram
a luz que sobra
do dia. É já noite
nas folhas. O branco
das paredes recolhe
o sangue e o vinho
de buganvilias
e hibiscos. Bebe-os
de um trago: saberás
que, mais do que cegueira a noite
é uma embriaguez perfeita

"Entardecer na Praia da Luz" de Albano Martins in "Castália e Outros Poemas"

O meu comentário???
Porque a noite é perfumada...
Os nossos sentidos estão à flor da pele...
Ama-se, espreguiça-se no tempo
que a noite nos concede...
Na suavidade da brisa,
que intensifica o cheiro das flores,
da terra que se espalha em nós....
Podemos beber vinho,
lentamente....
Podemos beijar-nos
docemente...
Podemos sentir-nos perfeitos
nesse amor em que nos soltamos...
Nessa noite rica de mistérios....
A sós com os perfumes dourados e fortes....