sexta-feira, maio 30, 2008

NOVA JANELA

Não Basta de Alberto Caeiro

Não basta abrir a janela


Para ver os campos e o rio.


Não é bastante não ser cego ~


Para ver as árvores e as flores.


É preciso também não ter filosofia nenhuma.


Com filosofia não há árvores: há idéias apenas.


Há só cada um de nós, como uma cave.


Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora;


E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse,


Que nunca é o que se vê quando se abre a janela.

O meu comentário???
É ler o que o mundo lá fora diz...
Na neblina, nos cheiros...
É atravessar o deserto, atrás desse sonho...
Não perder a esperança....
Ver no mundo novas promessas, novos sonhos..
Aprender a dialogar com ele e abrir sempre novas janelas....

quarta-feira, maio 28, 2008

FALTA DE NADA

O Amor é uma Companhia de Alberto Caeiro



O amor é uma companhia.



Já não sei andar só pelos caminhos,



Porque já não posso andar só.



Um pensamento visível faz-me andar mais depressa



E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.



Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.



E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.




Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.



Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.



Todo eu sou qualquer força que me abandona.



Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio.




O meu comentário???

Desejar...sentir que se abraça o mundo...

Não nos sentimos sós....

O passo torna-se realmente mais apressado...

Um sorriso mais brilhante aparece.....

Mais intensos os cheiros....

Saciamos os sentidos.............

A paixão alarga-nos o horizonte...

Continuamos sem ser os donos do Mundo....

Somente desses momentos em que não sentimos a falta de nada....

terça-feira, maio 27, 2008

LOUCURA


Temos, todos que vivemos,



Uma vida que é vivida



E outra vida que é pensada,



E a única vida que temos



É essa que é dividida



Entre a verdadeira e a errada.





Fernando Pessoa

O meu comentário???
A vida cheia de convenções e obstáculos...
A vida em que somos "eternos selvagens"....
Dançamos nus de corpo e alma....
Concebemos, idealizamos, vizualizamos...
Tudo aquilo que é diferente, verdadeiro, puro..
Às vezes, recusamo-nos a sair e ficamos lá...
Chamam-nos loucos.....
Mas quem estará mais feliz??
Pergunta banal, ouvi-a vezes sem conta....
Continuo à procura da resposta....
E, por isso...chamam-me louca.....

segunda-feira, maio 26, 2008

RARA

Tudo o que faço ou medito


Fica sempre na metade.


Querendo, quero o infinito.


Fazendo, nada é verdade.·



Que nojo de mim me fica


Ao olhar para o que faço!


Minha alma é lúcida e rica,


E eu sou um mar de sargaço.



Fernando Pessoa

O meu comentário???
Raramente estamos felizes com que escrevemos..
Há sempre um pormenor que podia ser mais trabalhado...
Ser mais perfeito...mais completo....
O infinito é a fantasia que nos completa a alma...
Nos faz sentir ricos....
Em lançarmos a palavra e esta nos ser devolvida com outras que a completam..............

======

Para celebrar hoje o meu aniversário, além do vosso comentário ao post acima, gostava que me deixassem um excerto do vosso poema favorito....

Um beijo....

domingo, maio 25, 2008

MALDITO MAS


Sou um evadido.


Logo que nasci


Fecharam-me em mim,


Ah, mas eu fugi.



Se a gente se cansa


Do mesmo lugar,


Do mesmo ser
Por que não se cansar?



Minha alma procura-me


Mas eu ando a monte,


Oxalá que ela


Nunca me encontre.·



Ser um é cadeia,


Ser eu é não ser.


Viverei fugindo


Mas vivo a valer.



Fernando Pessoa


O meu comentário???
Viver....descobrindo o prazer na descoberta....
Ideias, lugares, pessoas...
Soltar , defender o que se acredita.......
Evadir-se realmente...
Manter a coerência, a paixão....
Mas, maldito "mas" que atrofia a alma...
Envergonha-nos e mata-nos devagarinho...
Porque não podemos andar a "monte" toda a vida...Ou podemos????