sexta-feira, maio 30, 2008

NOVA JANELA

Não Basta de Alberto Caeiro

Não basta abrir a janela


Para ver os campos e o rio.


Não é bastante não ser cego ~


Para ver as árvores e as flores.


É preciso também não ter filosofia nenhuma.


Com filosofia não há árvores: há idéias apenas.


Há só cada um de nós, como uma cave.


Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora;


E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse,


Que nunca é o que se vê quando se abre a janela.

O meu comentário???
É ler o que o mundo lá fora diz...
Na neblina, nos cheiros...
É atravessar o deserto, atrás desse sonho...
Não perder a esperança....
Ver no mundo novas promessas, novos sonhos..
Aprender a dialogar com ele e abrir sempre novas janelas....

5 comentários:

Só Eu disse...

Não perder a esperança.
ganhar novas rimas, novos tons, novos nós...
Muito bem analisado um outro eu de Pessoa

**Je Vois la Vie en Vert ** disse...

"A esperança é a última a morrer !"
Sendo Verdinha (e não falo de cor de clube desportivo mas do meu coração), nunca a deixarei morrer !
Beijinhos verdinhos cheios de esperança

Sol da meia noite disse...

É preciso que se olhe... sentindo.

Belo post, muito belo mesmo...

Bj *

Pedro M disse...

Não basta olhar, é preciso ver!
Não basta ouvir, é preciso entender!
Não basta ter ideias, é preciso dizê-las!
Não basta saber, é preciso fazer!

Um beijo

Jade disse...

É preciso agir, actuar, nunca desistir!!
:)
Beijo e abraços