sexta-feira, outubro 15, 2010

TAL COMO É

Não me deixem tranquilo
não me guardem sossego
eu quero a ânsia da onda
o eterno rebentar da espuma

As horas são-me escassas:
dai-me o tempo
ainda que não o mereça
que eu quero
ter outra vez
idades que nunca tive
para ser sempre
eu e a vida
nesta dança desencontrada
como se de corpos
tivéssemos trocado
para morrer vivendo

de Mia Couto

O meu comentário???
Mas o que é viver e morrer??
Viver é seguir o ritmo da onda...
Sentir o ritmo, dançar ao ar livre...
Rir com as horas...
Nunca serão escassas...
Podem ser doridas e pesadas.
Podem ser um presente,
um bombom,
quando tranquilas...
Isso, sim,
é saber viver a beleza
do bater das ondas...
A vida
e aceitar o fim tal como ele é...



segunda-feira, outubro 11, 2010

FELIZ

dois amantes, o mundo
cada um no seu reino, beijam-se na praia
quando as ondas batem as areias

o mar é o meu navio,
hoje naufrago feliz

sabes quem sou, as dunas
que se levantam com o vento são
os sonhos do amor que dormita
em sossego nas praias

a terra és tu o mar sou eu

"Dois Amantes, o Mundo" de Jorge Reis-Sá
 in "A Palavra no Cimo das Águas"

O meu comentário???
Não durmo..
Só sonho e estou em paz...
Num sossego que nada perturba...
Nem o mar, nem o vento..
Sei quem tu és...
Escrevo tantas vezes o teu nome...
Vejo-o em qualquer lugar...
Mesmo nas dunas onde afundo os pés...
Brincando com a areia escaldante,
oferecendo-te os lábios para mais um beijo...
E, sim, estou feliz....