sexta-feira, outubro 03, 2008

RELÂMPAGO

Perdição (excerto)




Quiseste-me um dia só para ti


E eu não te desejei,


Quiseste que eu aqui ficasse,


E eu não me julguei,


Escolheste o lugar que eu não vi,


E eu não quis


Quiseste que eu em ti entrasse,


e foi por isso que eu fiz




A tua alma rodipiar,


Como um relâmpago,


Num instante,


Ciclone sem parar,


Brisa de tempestade constante,




José Miguel Costa (Livro "Náufrago na enseada do destino)




O meu comentário????




Porquê?




Porque é que não ficaste???




E achas que o amor é um ciclone....




Ofereci-te tudo o que tinha..............




Naquele instante, o mundo existia mesmo....




A água era mesmo cristalina....




Quis que visses tudo isso com os meus olhos....




Deixaste que o relâmpago tudo rasgasse................

quarta-feira, outubro 01, 2008

AS SILENCIOSAS

Perdições


Também as ruínas.

Escolhidas também num breve duvidar,

Perdida a noção num raio de esplendor,

Enganos ávidos de nos desenganar,

Ilusórios seres que nos acomodam a dor.


José Miguel Costa (Livro "Náufrago na enseada do destino")


O meu comentário????


Porquê acomodar a dor???


Não a enganar???


Sentir em si a ruína....


A dor faz com que se grite..........


Enfurece o mar e a noite...........


Nesse desengano enterrado na areia....


Porque...


.......... nem o mar nem a noite se enfurecem por causa da nossa dor............


Apenas pela partilha do poder....


Ficam, realmente ruínas....


As visiveis


---------e as que permanecem sempre silenciosas...


Misteriosas, invisiveis....


Intocáveis......


segunda-feira, setembro 29, 2008

DIÁRIO SECRETO

Rejeição (excerto do poema)


Mais este longo dia ausente,

Que nos apaga o nosso viver.

A noite chega-me diferente,

Abraça-me sem eu a querer.


José Miguel Costa (Livro "Náufrago na enseada do destino")


O meu comentário???


A noite é sempre diferente...


Porque a sentimos...


Ou como inimiga


.........ou como cúmplice....


Porque estamos frágeis, cheio de dúvidas....


Porque estamos a amar e sabemos que nos protege....


Porque nos esbofeteia...


Ou nos dá um beijo profundo....


A noite é sempre diferente....


É o diário secreto....

domingo, setembro 28, 2008

INCAPAZ

Ausências


A inexistência

De mim, de um universo que é incapaz

Por vezes suicídio,

num adeus indiferente,

Numa vida sem regresso e fugaz

Refúgios de sonhos,

que me tornam ausente



José Miguel Costa (Livro "Náufrago na enseada do destino)



O meu comentário???



Para que a vida não magoe tanto...



Não se pode voltar atrás, às vezes....



O universo é capaz...



Temos a impressão de que é incapaz....



Porque estamos sempre ausentes em sonhos de poder...



Não olhamos para o básico....



Desconhece-se a fronteira e aí, sim,



.............. não há regresso................