segunda-feira, novembro 03, 2014

QUEM SOU


Se sei quem sou?

Às vezes...
Imagino-me a libertar as ondas,
brandindo uma espada reluzente,
num sonho alegre, feliz....

Outras,
escorrego na traição perversa do Mundo
Questiono os meus valores
Deixo que o desânimo vença
num suspiro profundo, desesperado...
Pois... 
nesses dias,
nunca olho em frente....

  PAINTING BY CATHERINE DAVILLA

4 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Nem sempre é possível olhar em frente, mas o importante é conseguir libertar as ondas em sonhos alegres e felizes... mas há que ter atenção às tarições perversas do mundo em suspiros profundos e desesperados... há que olhar em frente mesmo nos dias de desânimo...

Ailime disse...

Boa noite Marta, mais um excelente poema que nos instiga na busca constante da nossa verdadeira identidade, do nosso verdadeiro eu!
Um beijinho,
Ailime

© Piedade Araújo Sol disse...

o teu estilo.

belíssimo poema com todos os que já li de tua autoria.

:)

Agostinho disse...

Está bom, Marta!

A lua em cheio
e a lua alua
A bipolaridade
em tudo e em nós
a moeda que recebemos
e com que pagamos.