quinta-feira, julho 03, 2008

LUTAR

Walking Around


Acontece que me canso de meus pés e de minhas unhas,

do meu cabelo e até da minha sombra.

Acontece que me canso de ser homem.


Todavia, seria delicioso

assustar um notário com um lírio cortado

ou matar uma freira com um soco na orelha.

Seria belo

ir pelas ruas com uma faca verde

e aos gritos até morrer de frio.


Passeio calmamente, com olhos, com sapatos,

com fúria e esquecimento,

passo, atravesso escritórios e lojas ortopédicas,

e pátios onde há roupa pendurada num arame:

cuecas, toalhas e camisas que choram

lentas lágrimas sórdidas.


Pablo Neruda



O meu comentário???



Desalento...fúria, revolta escondida nesse cansaço...



Por vezes, dele me torno vitima...



Não é por causa do calor...



Não é pela rotina....



A dor...



Ninguém nos ouvir....



Nos sentir ou abraçar............



O tempo arrastar-se com perguntas...



Perguntas que sabemos....

.......são infantis....inúteis...



E cansativas.....



Porque deixamos de lutar..................



8 comentários:

Manelito Caracol disse...

fantástico post!
:)

Só Eu disse...

Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo.
Quero-te só porque a ti te quero,
Odeio-te sem fim e odiando te rogo,
e a medida do meu amor viajante,
é não te ver e amar-te,
como um cego.

Tal vez consumirá a luz de Janeiro,
seu raio cruel meu coração inteiro,
roubando-me a chave do sossego,
nesta história só eu me morro,
e morrerei de amor porque te quero,
porque te quero amor,
a sangue e fogo.


Pablo Neruda

Marta. e Neruda começam a namorar e eu gosto.
Deixei um dos textos de Neruda que mais gosto.
Beijinhos

RENARD disse...

Como o "cinzentismo" da vida nos arrasa por completo. Quando éramos garotos e tudo era preto e branco, sim ou não, a felicidade era fácil e constante.
A revolta de nos ouvirem mas não nos "escutarem"!
Pensarmos que nos conhecem e depois um dia sem menos esperar dizem-nos : "- Nunca te pensei assim!"

Vou acabar este post no meu refúgio...

Obrigada pelo chá inspirador!

daniel disse...

Marta

É-me sempre grato rever algo de Pablo Neruda!
Consderações
Daniel

DelfimPeixoto disse...

Um doce, sempre, o post que colocas..

Xinha disse...

Marta,

Por vezes, cansamos-nos de sermos nós ... gostariamos de assumir outra realidade.. uma em que pudessemos ser livres de tudo, até de preconceitos ...
Mas, não é possivel. E, passada a essa ilusão, voltamos a vestir a nossapele para enfrentarmos a nossa dura e fria realidade.

Belo post, para não variar!

Xi-coração

Menina do Rio disse...

Drástico, intenso, incontido!

Um beijo

daniel disse...

Marta

Analisei, reanalisei. Ache muito interesante, vista sob os meus padrões. Gosto de vários tipos de proposta poética.
Acabas com espécie de molólogo simples e consiso.
Daniel