quinta-feira, junho 07, 2007

REDE

Cecília Meireles – CANÇÃO MÍNIMA

No mistério do sem-fim
equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro;
no canteiro uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,

entre o planeta e o sem-fim,
a asa de uma borboleta.
O meu comentário???
O ciclo da vida, será??
Estamos todos ligados - uma rede invisível...
Um circulo....
Giramos à volta...de objectivos...
Procuramos um sentido...
Exploramos alternativas...
Sempre...sem olharmos para a beleza da borboleta...
Há qualquer coisa bela no planeta....
E cá dentro...todos o somos...............

4 comentários:

Rosa Maria disse...

Sim...há qualquer coisa de belo...talvez a sua fragilidade...
e isso, é de facto algo, que pelo menos eu, tenho cá dentro...em demasia!
Fica um beijo

Menina do Rio disse...

e sobre o dia, a vda
e sobre a vida, o amor...

lindos versos!!!

beijos

canto dos sonhos disse...

Ola!Amiga estou aqui te fazendo uma visíta e já te adicionei no orkut só falta vc aceitar o meu convite ok.Somos mulheres sonhadoras e amei o teu texto.Te aguardo em meu blog.Bjs de sua amiga!CARMEN!!!

o alquimista disse...

Ditosos são os amantes ao fim do dia, não deixam sombra na noite, trocam palavras, juras em harmonia, e o encanto floresce à cadência da palavra, explode no peito com fome de beijo, solto...

Bom fim de semana

Doce beijo