segunda-feira, julho 25, 2005

LER O ADEUS

ADEUS - EUGÉNIO DE ANDRADE
.................
Não temos já para dar.
Dentro de ti não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.
Adeus

Isto é apenas parte de um poema que fala da separação e que resume a verdade.
Quando não há nada, nem para dar nem para receber, é admitir a derrota e assumir que se falhou!
Não, não podemos falar em "falhar" - palavra brusca demais; destroí a auto-estima e isso nunca devemos perder.
Eu perdi-a, às vezes sinto a tua falta, mas já aprendi a viver sem ti. Não falhei em nada; apenas entreguei o meu amor a alguém que não o quis aceitar.
É como eu quero ver as coisas; como as leio!

1 comentário:

Carmem L Vilanova disse...

Nao devemos falar em perda tampouco! Nao acredito em perdas definitivas, no que se refere a sentimentos, acredito antes que se houve algo que se assemelhe a uma "perda" é porque na verdade nunca houve um "ganho" real! Caso contrário, ficasse algo... tu que crês?
Muitos beijos, querida amiga!
PS: Vou responder a teu email, nao estou esquecida nao! :)