sábado, fevereiro 25, 2006

MEDO

Deserto de Ecos - António Marques Leal
O escuro desta noite fez-me ter medo de olhar para ti,
mas o dia que despontou,
mesmo na altura em que o luar era apagado pela estrela da manhã,
fez nascer em mim uma nova força

O meu comentário?
Tive muito medo; ainda tenho muito!
Medo de atravessar o deserto e não encontrar água.
Mas, nem tudo esteja perdido, se me guiar pela estrela da manhã, porque é a única coisa que me resta:
A luz do sol para me fazer acreditar que há uma janela aberta algures!

Sem comentários: