quarta-feira, janeiro 24, 2007

EXCLUSIVO


Poesia
Gastei uma hora pensando em um verso
que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não quer sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira.
de Carlos Drummond de Andrade

O meu comentário???
Às vezes, estamos nervosos, impacientes...
Há qualquer coisa que está presente,
mas ainda não encontramos a raiz, o caminho......
É um labirinto, um enigma, um puzzle - domina-nos, mas não nos escraviza......
Pelo contrário.......
Torna-nos felizes e isso,
tal como o diz o poeta, fica-nos para a vida inteira....
Mesmo que só seja um minuto, um instante
.........pertence-nos exclusivamente.......

3 comentários:

* White Roses Princess* disse...

tantas vezes a poesia se fexa dentro de nós e não a conseguimos arrancar...***************



*White Roses Princess*

Jofre Alves disse...

Passei para ver os amigos, apreciar o blogue, sempre com bom-gosto e qualidade, factor que me leva a visitá-lo para deixar o desejo dum óptimo fim-de-semana, apesar deste frio que enregela, mas como diz o povo «mãos frias, coração quente».

Bruxinhachellot disse...

Não mais pensar no que escrever. Tentar arrancar de dentro de si as palavras exatas, as rimas e colocá-las numa foha de papel ou digitá-las, não mais.
Deixo ela virem expontaneamente, sem pressa, sem pressão. O que vier, mesmo que não tenha sentido, será bem vindo e aceito, e aí a pena trabalha com arte.

Beijos de verão.