quinta-feira, abril 26, 2007

CIRCUNFERÊNCIA


MORRO DO QUE HÁ NO MUNDO

Cecília Meireles

Morro do que há no mundo:
do que vi, do que ouvi.
Morro do que vivi.
Morro comigo, apenas:
com lembranças amadas,
porém desesperadas.
Morro cheia de assombro
por não sentir em mim
nem princípio nem fim.
Morro: e a circunferência
fica, em redor, fechada.
Dentro sou tudo e nada.

O meu comentário???
A morte associa-se ao vazio....
À perda de tudo......
Teve-se tudo ou não se teve nada..........
Sozinho???
Morre-se sozinho, apenas com as memórias....
Desesperadas, alegres....
tudo depende da forma como se viveu...
Intolerante, lutador, revoltado, triste, insatisfeito...
Exactamente ...uma circunferência....

2 comentários:

Alexandre disse...

Um momento de fraqueza que todos temos por vezes, ninguém é mais valente que os outros... às vezes até os poetas e os pensadores - especialmente poetas e pensadores - têm vontade de morrer!!!

Entre linhas... disse...

Todos nós temos momentos mais sensíveis e de fraqueza.

Bom fim de semana amiga
Bjs Zita