sexta-feira, julho 27, 2007

ÂNCORA

CIDADE
Cidade, rumor e vaivém sem paz das ruas,
Ó vida suja, hostil, inutilmente gasta,
Saber que existe o mar e as praias nuas,
Montanhas sem nome e planícies mais vastas
Que o mais vasto desejo,
E eu estou em ti fechada e apenas vejo
Os muros e as paredes, e não vejo
Nem o crescer do mar, nem o mudar das luas.
de Sophia de Mello Breyner Andersen (excerto)
O meu comentário???
Há esta sensação de que estamos presas
e não conseguimos libertar-nos...
Não sabemos o que fazer ao tempo....
desfazer a rotina....isolamo-nos....
Não vemos mais nada a não ser o que existe.........
um muro que não nos atrevemos a saltar...
Por medo...
por não conhecermos mais nada..........
Estamos sem âncora.............

3 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Estou em falta por aqui... virei mais a partir da proxima semana, amiga...
Beijos, flores e milhoes de sorrisos para ti, minha linda!

DairHilail disse...

Todos queremos sentir
o mundo que pulsa
mas a sua pulsação
só a poderemos sentir
no silêncio, na distância
1 beijo para ti

Rosa Maria disse...

Porque será que assim acontece...? Tb me pergunto...