domingo, agosto 05, 2007

VEZES

Mesmo que eu morra o poema encontrará
Uma praia onde quebrar as suas ondas
E entre quatro paredes densas
De funda e devorada solidão
Alguém seu próprio ser confundirá
Com o poema no tempo
O Poema de Sophia de Mello Breyner Andresen (Excerto)

O meu comentário??
Uma certeza absoluta...duas faces para a mesma certeza...
Apesar da morte...a vida de um poema, de palavras simples, de verdades escondidas...
Alguém que encontrará a verdade da sua vida nas palavras.............
Para terminar com a solidão...
numa resposta às suas preces confusas...
Ninguém...
há alturas em que temos que ser nós a ajudar-nos.....
Respostas que se encontram no bater das ondas na praia - como eu...
Muitas vezes...........................

3 comentários:

Thunder disse...

A praia...tão amada por esta grande poetisa. Ela continua a viver nas ondas do mar que tanto adorava e viajará no tempo, nas palavras da sua poesia. Assim, ela é imortal!

Bjs.

Alvaro Gonçalves disse...

Oi meu anjo,

Me desculpa, apesar de me encontrar um pouco melhor, ainda não estou com muitas forças, mas não podia deixar de aqui passar para te desejar um lindo e doce fim de semana e uma semana cheia de amor e muita paz teu coração.
Bjokas mil e xi – corações.

Sahmany disse...

Tuas três casas são maravilhosas.
É a primeira vez que passo por aqui, e que grata surpresa.
Parabéns.
Bom fim de semana.
Fica com Deus.