segunda-feira, outubro 22, 2007

A HISTÓRIA DO AMOR

....
Amor, tão chão de Amor,
Que sensível és...
Sensível e violento, apaixonado.
Tão carregado de desejos!
Acalmas e redobras
e de ti renasces a toda a hora.
Cordeiro que se encabrita e enfurece
e logo recai na branda impotência....
..........
Amor (excerto) de Irene Lisboa
O meu comentário?
E o amor não é isto??
Lágrimas de raiva, ódio e dor........
Agora...
Ao cair da noite..........
Tudo fica diferente....
Explicações, sussuros,
galanteios, carícias, beijos....
Flores.............
Momentos mágicos.................A calma...........
E volta-se novamente a amar....................

4 comentários:

Sol da meia noite disse...

"E volta-se novamente a amar...................."

Marta, quando se ama, ama-se sempre...
Não porque é noite ou dia, não com hora marcada... digo eu.

Muitos beijinhos!

Um Momento disse...

E que jamais o amor padeça...
O Amor é fundamental para a nossa existência
Beijo em ti
(*)

Aspásia disse...

OLA MARTA!

O SENTIR FUNDAMENTAL
DA VIDA DE CADA UM
É ESSE AMOR FULCRAL...
COMO ELE NÃO HÁ NENHUM!

BEIJINHOS PERFUMADOS DO JARDIM :)

Um Momento disse...

Passei para deixar um beijo e desejar uma linda tarde
(*)