quarta-feira, fevereiro 27, 2008

CHUVA E PREGUIÇA

Paulo Leminsk - Selecção de 36 poesias



1.


lembrem de mim como de um


que ouvia a chuva


como quem assiste missa


como quem hesita, mestiça,


entre a pressa e a preguiça



O meu comentário???


Alguém que tinha alma de poeta...

Vivia a poesia nessas pequenas coisas...

Preguiça? Num dia de calor intenso...

Ou quando rebenta a borrasca....

Ler, dormir sem horas...

Pressa? Perdemos mais tempo...

E o tempo.......ri-se....

Vamos rir nós também...............

4 comentários:

Sol da meia noite disse...

A alma dum poeta tem o Dom de ser uma alma incompreendida... difícil de entender o apego às pequenas coisas. Coisas Grandes, digo eu...

Beijinhos

multiolhares disse...

O poeta finge,
Troca palavras
Escreve emoções
Deixa a quem o lê
A imaginação acontecer
Beijinhos
luna

João Moreira disse...

Quando o tempo se perde em mim é a rir que passamos as horas.

tufa tau disse...

quantas coisas aprendemos nos aparentes detalhes... nas gotas de água que olhamos descer pelo vidro da janela no nosso silêncio ouvindo a música da chuva.

abraço