quarta-feira, fevereiro 04, 2009

NÃO SER ESCRITO

O Poema


O poema

Rasga o peito

Abre o seu caminho

Vence o desespero

Emudecido

A que estava condenado

E parte obstinado

Através do tempo

Interrompido


É delicada seiva

Em movimento

Espessa como mel

Em gotas lentas

Escorre da colher

E toma o perfil

de mulher.


Albino Santos (Livro "Gotas de Luz")


O meu comentário???


Raramente...

Se consegue manobrar o tempo....

Dispersa-se a ideia....

O desespero intensifica-se....

Esvazia-se a doçura.....


O poema condena-se a si próprio....

Não fala de amor, mas sim de traição...

Não fala do Sol, mas da chuva intensa....


Até pode....

Não ser escrito o poema....

Porque, entretanto alguma coisa morreu............

6 comentários:

Secreta disse...

Se algo morre , é porque algo vai nascer! Tudo é um ciclo ...
Beijito.

O Profeta disse...

A terra dorme em sobressalto
Um grito brota da alma
Danço com esta bruma de Inverno
Rodopia em meu peito uma estranha calma

Águas despertas, Mar bravio
Cai sobre mim um nevoeiro perverso
Uma onda estende seu manto de espuma
Açoita as pedras adiando o regresso


Boa semana


Mágico beijo

Carla disse...

pode ser escrito em nós...e por vezes isso basta
beijos

pin gente disse...

e se as palavras não nos saem da cabeça, que fazemos ao poema?


deixo um beijo

Sofá Amarelo disse...

O poema existe porque a Mulher existe - o poema não pode ser feito de chuva intensa porque o Sol rompe sempre por detrás do murmúrio das nuvens...

isabel disse...

a pin(gente) deixou-te um desafio, Marta!

gostei de conhecer o teu blog :)