quarta-feira, março 11, 2009

AMAR Á CHUVA

Amor é o olhar que nunca pode
ser cantado nos poemas ou na música,
porque é tão só próprio e bastante
em si mesmo absoluto táctil
que me cega, como a chuva caí
na minha cara, de faces nuas
oferecidas sempre apenas à água
Fiama Hasse Pais Brandão - Poema "Amor é o olhar total que nunca pode)
(Livro "366 Poemas que falam de amor escolhidos por Vasco Graça Moura")
O meu comentário???
Glória...
Amar à chuva...
Rasgar os poemas, porque nunca dizem o que sentimos....
Somos absolutos....
Somos cegos...
Porque o amor é total....
Egoísta, talvez....
Porque se torna só nosso...
Não o partilhamos - só com a nossa alma...
Ou não....
A chuva vem e vai...
Cúmplice perfeita para o amor....
========================================
2ª coisa sobre mim, do desafio deixado pela Pin
Detesto cozinhar e arrumar a cozinha...

8 comentários:

ematejoca disse...

Bom dia Marta!
Falta-me a tua sensilibidade e a tua veia poética, mas temos uma coisa em comum: DETESTO COZINHAR, ARRUMAR A COZINHA E TODOS OS TRABALHOS CASEIROS!

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA MARTA, GOSTEI DO POEMA MAS COMO VEM SENDO HÁBITO, GOSTEI MAIS DO COMENTÁRIO...
UM ABRAÇO DO CORAÇÃO AMIGA,
FERNANDINHA

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

Je Vois la Vie en Vert disse...

O poema é muito bonito mas desculpa-me prefiro amar ao sol...

Acho que já não existem mulheres que gostam de arrumar a casa...
Não gosto de cozinhar por causa de tudo o que vem `à volta : escolher o menu. Ir às compras. Não puder ir depressa ao computador porque a comida queima. Arrumar tudo.

Se fosse só mexer no tacho e inventar prato, até gostava...

Bom fim de semana

Beijocas verdinhas

Sofá Amarelo disse...

O Amor só faz sentido quando é total, quando é cúmplice a 100%... e os poemas podem ser rasgados porque nunca conseguem dizer tudo o que se sente...

Graça Pires disse...

"Amor é o olhar que nunca pode
ser cantado nos poemas ou na música"
Lindo o poema da Fiama.
Gostei do comentário "Rasgar os poemas, porque nunca dizem o que sentimos..."
Beijos

BC disse...

Dois poemas num só que se cruzam na estrada das palavras.

Desculpa a pergunta mas a Marta que me segue (fotografia)és tu??
É porque se não fores não sei quem é, mas acho que és mesmo tu, mas tenho andado para te perguntar.
Beijinhos
Isabel

BC disse...

Martinha desculpa, não é isso, no meu blog tenho aquelas fotografias, dos seguidores e aparece uma Marta que eu não sei quem é, pensei que eras tu.
Quando aquilo apareceu ao abrir a fotografia nós entravamos logo no blog, mas agora não, daí eu não saber.
Hei-de descobrir, obrigada
Isabel