terça-feira, abril 21, 2009

TUDO OU NADA

A chuva chove...


Cecília Meireles


A chuva chove mansamente... como um sono

Que tranqüilize, pacifique, resserene...

A chuva chove mansamente... Que abandono!

A chuva é a música de um poema de Verlaine...


E vem-me o sonho de uma véspera solene,

Em certo paço, já sem data e já sem dono...

Véspera triste como a noite, que envenene


... Num velho paço, muito longe, em terra estranha,

Com muita névoa pelos ombros da montanha...

Paço de imensos corredores espectrais,


Onde murmurem, velhos órgãos, árias mortas,

Enquanto o vento, estrepitando pelas portas,

Revira in-fólios, cancioneiros e missais...


O meu comentário???


Tristeza e saudade...

A alegria que deixou de existir..

O abandono ao tempo do que tanto se amou outrora...


A música

A beleza da montanha

O declamar de poemas

Falam de luz, de amor...

Tudo e nada...


O que resta???

Além da tristeza e da saudade??

As recordações....

4 comentários:

O Profeta disse...

Quanta beleza...


Doce beijo

Lágrimas de Sangue disse...

Recordações ficam para sempre tatuadas na pele...

BC disse...

Há quem diga que não se deve viver de recordações,e viver o momento______________________eu acho que deve ser assim mas não nos conseguimos dissossiar das recordações, especialmente das boas.
Beijo
Isabel

Alvaro Gonçalves disse...

Boa tarde meu anjo, aqui passo hoje apenas para te deixar um beijo cheio de ternura em teu coração.