quarta-feira, setembro 02, 2009

MISTURA

Nunca fui como todos


Nunca tive muitos amigos


Nunca fui favorita


Nunca fui o que os meus pais queriam


Nunca tive ninguém que amasse


Mas tive somente a mim


A minha absoluta verdade


Meu verdadeiro pensamento


O meu conforto nas horas de sofrimento


não vivo sozinha porque gosto


e sim porque aprendi a ser só...




Florbela Espanca




O meu comentário???




Fala-se de solidão, de amizade e de amor???


Uma estranha mistura,


uma verdade impossível...


De entender, de enfrentar, de aceitar...


De viver....


Há alguém que nos ama...


Poderá não nos amar em absoluto...


Como pensamos que merecemos e queremos...


Ou talvez a verdade seja:


sermos nós que não sabemos como amar...


e nos sentirmos, por isso, tão sós....




7 comentários:

Rui Fernandes disse...

Sabes, todos nós nos sentimos assim, nem que seja o mínimo possível, mas sentimo-nos.
É lindo esse poema, mas o teu comentário faz-me entender ainda melhor o que ele que dizer...

Beijinho de Misturas hehehe
Rui Fernandes

Luciana disse...

Ótima postagem todos os sentimentos juntos é muito importante, parabéns pela postagem.
Bjinhos

Daniel Costa disse...

MARTA

De ler de novo Flobela Espanca, de cuja poesia sou fã. Também aprecio essa tua fórmula de fazer poesia, porque a conduzes bem.
Considerando Florbela, certo modo, pareceu-me ter-te revisto um pouco, foi uma poetisa e mulher muito avançada para a época.
Beijos,
Daniel

HSLO disse...

Estava com saudades de passar por aqui...abraços


Hugo

cristinasiqueira disse...

Bela estreia em teu blog recebida por Florbela Espanca e por sua releitura inspirada,reflexiva.
Venha me visitar
www.cristinasiqueira.blogspot.com

Com carinho,

Cris

Je Vois la Vie en Vert disse...

Quem passa por aqui descobre muito sentimentos !

Beijinhos

Verdinha

MCampos disse...

A poetisa Florbela Espanca soube, como poucas, falar dos sentimentos. Boa escolha e belo o seu comentário poético, como sempre.

Um abraço e obrigada pela visita.