quarta-feira, setembro 30, 2009

SER OUTONO

Não sei de mim

se daquilo que parece ser

me perdi...


Deixei que a vida me vivesse e,

perdendo-me na vida,

a vida perdeu-se...


E menti muito

para ser melhor


de Fátima Andersen


O meu comentário???


O meu retrato???

Ás vezes,

penso que sim e revolto-me..

Quero reescrever a minha vida...

Mas não posso...

Fui o retrato inacabado, abandonado...

Sem saber que tinha que ser eu a acabar..

A pintar a nau nas minhas cores...

Não me importar com a troça dos outros...

Porque gosto de rosa...

Adoro o aroma quente do dourado e do castanho..

Sou o Outono,

vivo no Outono....

E gosto...


5 comentários:

Graça Pires disse...

Ser o outono. Com tons de mel e fogo. Gostar de ser o outono. Com a água a procurar a sede...
Um beijo.

MCampos disse...

Não conhecia o primeiro poema, e gostei bastante. Do seu, retiro o verso 'Quero reescrever a minha vida...'. Um verdadeiro poema-comentário a outro poema.

Um abraço, Marta.

Daniel Costa disse...

Marta

Acredita que apreciei o teu comentário. Achei com um fundo mais poético, um poema mesmo.

Olha, azar o meu não abri logo o teu mail, quando ia para responder não o encontrei. Como tenho o Sonico, havia "paletes" apagar e terá ido na onda.
Desculpa! Importas de enviar novo. Nem precisas de escreveu, o te vou pedir é descomplicado. danielcosta@tele2.pt
Beijos,
Daniel

Je Vois la Vie en Vert disse...

Chère Marta,

Ma semaine n'a pas été simple non plus...
Mais j'espère que la seminae qui s'approche sera plus agréable pour toi !
La mienne sera fort agitée...

Bisous

Verdinha

P.S. Pardonne-moi de ne pas commenter ton texte aujourd'hui, je suis très fatiguée.

O Profeta disse...

O amor procura o aconchego
Duas almas suspiram em entrega total
Explode a paixão, enlouquece o querer
O amar às vezes é pecado mortal...

...Às vezes uma intensa alucinação
Em que viajas pelo meu eu
Às vezes o mundo fica em espera
Da união do mar com o céu


Doce beijo