sexta-feira, dezembro 25, 2009

ÁS AVESSAS

No espaço do meu corpo



há um cheiro a maçã verde



e eu habituei-me



a esperar-te inteira



à beira do tempo



enquanto as esquinas



se dobram de espanto.






Tu és a certeza nesta viagem



pelo amanhecer tranquilo



em que a madrugada se despe



das palavras quietas que cheiram a ti.






Eu sou a incerteza



da partida que sabe a desejo






"Poema para ti" de António Sem






O meu comentário???


A vida às avessas...

As partidas e os desejos...

Mas saber que estás presente...

Que me estendes a mão...

Que confias em mim e não me deixas sozinha...

Esperar....o tempo não me derruba....

Pois sei que me desejas tanto como eu te quero...

Sentir em cada momento da minha vida..

Nos abraços do meu corpo...

Em que se intensifica esse desejo....

5 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

Não só um, mas dois belos poemas, "esgrimes" muito bem nos teus belos comentários poéticos.
Beijos
Daniel

mixtu disse...

pois, o poema mas gostei mais do comentario e não estou a ser simpatico...

abrazos serranos y europeos

. intemporal . disse...

.

. com amizade,,, .

. desejo um ano de 2____0____1____0 .

. a ser o ventre da serenidade .





. sempre,,, .




. paulo .

.

Graça Pires disse...

Dois belos poemas que se completam.
Um beijo e um ano de 2010 melhor.

Vieira Calado disse...

Não conhecia este blog interessante e variado.

Bom dia para si.