quinta-feira, março 18, 2010

NADA O IMPEDE

O corpo não espera. Não. Por nós
ou pelo amor. Este pousar de mãos,
tão reticente e que interroga a sós
a tépida secura acetinada,
a que palpita por adivinhada
em solitários movimentos vãos;
este pousar em que não estamos nós,
mas uma sede, uma memória, tudo
o que sabemos de tocar desnudo
o corpo que não espera; este pousar
que não conhece, nada vê, nem nada
ousa temer no seu temor agudo.
Tem tanta pressa o corpo! E já passou,
quando um de nós ou quando o amor
chegou.
"O corpo não espera" - Poema de Jorge de Sena
O meu comentário???
Como a vida...
Nada espera...
A pressa em conhecer, em amar...
Para quê fazer perguntas?
Para quê esperar respostas?
O amor num minuto, a noite horas...
O dia num quadro feito de luz e sons...
O corpo absorve tudo....
Deixa-se amar por tudo,
fica ainda mais brilhante....
Porque cresce em amor,
vive no amor,
regressa sempre ao amor....
Nada o impede......
Por isso...
esperar para quê???

5 comentários:

Patrícia disse...

Se nada o impede... tal como disseste. Ainda bem que continuas a escrever e a inspirar muitas pessoas a fazê-lo. Obrigada, Marta.

Beijinhos=)
Patrícia

Daniel Costa disse...

Marta

Está visto, mostra-te à altura de arriscar. Achei bem o teu comentário a um poema de Jorge se Sena. Realmente tens sensibilidade de uma excelente poetisa.
Beijos
Daniel

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Amiga.

O corpo assim como a vida
tem pressa.
É como se entendesse
a brevidade da vida,
e a intensidade dos sentimentos.
Por isso foge da razão,
e clama por tudo aquilo que o justifica
e alimenta.

Que o teu coração seja sempre casa de alegria.

Jortas disse...

Temos sempre muita pressa.
e o corpo vive apressado
Dentro das grades do desejo
Dum presente sempre adiado.

Vivemos realmente numa sociedade sem tempo.

betencourt disse...

Verdades mais que verdadeiros

Na vida nada espera

Viva o amor