sexta-feira, abril 23, 2010

EFECTIVAMENTE

Não acabarão nunca com o amor,
nem as rusgas,
nem a distância.
Está provado,
pensado,
verificado.
Aqui levanto solene
a minha estrofe de mil dedos
e faço o meu juramento:
Amo
firme,
fiel,
e verdadeiramente
"Dedução" de Vladimir Maiakóvski
O meu comentário???
Não há nada a jurar....
Pensar,
verificar
ou a provar...
Em nada,
o amor se deduz...
É infinito,
enche o nosso ser de segredos...
Segredos que
ninguém nos pode arrancar...
O amor é, efectivamente,
a verdade
que existe...
A esperança
na vida,
o respeito
por nós,
quando nos tiram tudo...

4 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

À partida um bom poema, mas o yeu poema-comentário é de respeito mesmo. Que inspiração Marta!
Beijos
Daniel

MCampos disse...

Belo, o conjunto, mas destaco as suas palavras, tão verdade para mim: "O amor é, efectivamente, a verdade que existe...", quase que me atreveria a acrescentar, a única que vale a pena.

Um abraço, Marta. Gostei muito.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga Marta.

Hoje a minha visita é para agradecer.
Nestes dias que celebro a minha vida,
tenho certeza de que a mesma
não teria o brilho de hoje,
se não fossem os amigos e amigas
que a tornam valiosa
mesmo que distantes.

A ti gostaria de dizer obrigado:
Obrigado pelas visitas ao meu blog.
Obrigado pelas palavras semeadas.
Obrigado por sentir os meus textos
com os olhos do coração.

Sou eternamente grato a vida,
por mais estes presentes
que de modo gentil
deixas em minha vida,
fazendo de mim uma pessoa melhor,
e pleno de felicidade.

Lindos dias de vida para ti.

Graça Pires disse...

"o amor se deduz...
É infinito". Subscrevo na totalidade. Um beijo.