quinta-feira, abril 08, 2010

GAIVOTA

Presença

Entra-me em casa o murmúrio do mar
e ao fim da tarde assoma na janela
uma gaivota que me vem deixar
a mensagem mais simples, mais singela,
que podia na vida desejar:
esta certeza de que estás comigo
mesmo quando te ausentas e eu invento
mil e uma formas de escutar no vento
o eco das palavras que te digo.

Torquato da Luz

O meu comentário???
O sentir o teu olhar...
Nem preciso de escutar o vento....
Sei que deixas lá as tuas mensagens;
escrevo nele as minhas...
Sei que tas repete;
disse-me a gaivota...
Tenho a certeza de que
é a mesma gaivota,
porque permanece aqui
no parapeito da janela...
Se não fosse,
não me olhava assim tão calma....
Fugiria assim que eu abrisse a janela
e ela continua aqui...
Como se estivesse a fazer-me companhia....
Como se soubesse como tenho saudades tuas....

5 comentários:

Secreta disse...

O nosso sentir, quando verdadeiro, não passa despercebido.
Beijito.

Daniel Costa disse...

Marta

És sempre incansável na retórica aos poeta, com que vais arriscando a ombrear, e como agora, te sais airosamente, ou não fosses boa poetisa.
O poeta Torcato da Luz, tem o nome do homem que treinou, em Hóquei em Patins, a Selecção Nacional, além de vários clubes, porém não deverá ser a mesma pessoa, que por casamento pertenceu a uma família de hoquistas, meus vizinhos e amigos, nunca me soôu.
Beijos
Daniel

Daniel Costa disse...

Marta

Sobre o comentário que deixaste, gostaria de participar mas sobre paixão, fico sem saber o que escolher, não queres tu fazê-lo?
Comigo ficas à vontade, gotava até que enviasses Mail danielcosta@tele2 há muito que ando com vontade de fazer-te uma pergunta.
Beijos
Daniel

. intemporal . disse...

.

. bel.íssimo,,, marta .

. que nunca finde o murmúrio do teu mar, maré alta onde me acometo .

. sendo gaivota mensageira .

. o meu beijo de hoje, a.final, o meu beijo de sempre .

.

. paulo .

.

Sofá Amarelo disse...

É o vento que transporta as mensagens da ausência, misturadas com o eco das palavras.