quinta-feira, outubro 21, 2010

BELEZA E FOGO

Não se pode cortar o fogo com uma faca
 (provérbio grego)

até que Deus é destruído pelo extremo exercício da beleza

Fonte:
"A faca não corta o fogo"
Herberto Helder (Pg 133)

Enviado por JPD do blog "O Gato e o Guizo"

O meu comentário???
Não sei se falas de ciúme ou de ódio..
Ambos ardem numa loucura fria...
Um fogo intenso que corrompe
a beleza dos sentimentos...
Em que se pergunta por Deus
e a culpa é só nossa...
Porque ficamos à superfície das coisas..
Ouvimos e não ouvimos...
Sem entendermos verdadeiramente...
O que deixamos escapar....

DESAFIO:
Com as palavras "beleza" e/ou "fogo"
gostava que me enviassem poemas,
vossos e/ou dos vossos poetas favoritas para eu comentar....



3 comentários:

JPD disse...

Boa noite, Marta

Considero teres respondido adequadamente à frase desafio.

Acho interessante a deixa lançada.
Estarei atento.

Bjs

★★ GIZA ★★ disse...

ola amiga
claro serà um prazer participar do seu desafio
aì vai meu poema:



Meia-noite meu anjo vem me buscar.
Espero impaciente a hora chegar.
Para com ele estar.
Meia-noite e não estremeço.
Conheço meu anjo.
Por ele tenho grande apreço.
Meia-noite e o silêncio impera.
Só o vento a janela.
Assovia sem cessar.
Meia-noite e ele chega.
E o quarto todo clareia.
Com luz de beleza singular.
Meia-noite e partimos.
Para céus infinitos.
Conhecer ou relembrar paisagens.
Meu anjo e eu.
Volitando sobre a Terra.
Tão pequenina cá de cima.
Meu anjo e eu.
Nas crateras da Lua.
Na parte que o Sol a alumia.
Meu anjo e eu.
Nos anéis de Saturno.
Escorregando em gelo e fogo.
Meu anjo e eu.
Em universos para mim desconhecidos.
Velando pelos cometas.
Meu anjo e eu.
Astronautas dos sonhos.
Assentados em asteróides inabitados.
Em planetas solitários ao por do Sol.
Meu anjo e eu.
Assistindo a dança do Universo.
O mais pura beleza em um quadro pintado por Deus.
Somente meu anjo e eu

AFRICA EM POESIA disse...

Com um beijinho

FOGO


Céu azul
Azul claro
Azul quase branco
E o contraste
Das nuvens
Cor-de-rosa
E cinza…
Ao longe o brilho
E a sensação do fogo
E as nuvens
Correm e mudam
Constantemente
A sua forma…
E eu ao olhar…
Fico extasiada
Com o que os meus olhos
Vêem
E olho vejo e calo…
E continuo a imaginar!...

Lili Laranjo