sexta-feira, julho 01, 2011

OUTRA VEZ

Abri minha janela ao vento norte
A ver se o frio me acordava
De um sonho em que eu próprio duvidava.
- No céu brilhavam estrelas mais que nunca.
Em vão, desde então, eu procurei
Lembrar o seu olhar, a sua imagem
Tão bela, tão perfeita, mais miragem.
- No céu brilhavam estrelas mais que nunca.

Ruy Cinatti

O meu comentário???
Porque estamos apaixonados...
Na euforia, no ardor da paixão...
Não pensamos em mais nada.....
Apenas no que nos veste....
Como o vento que entra pela janela
e nos acaricia o corpo...
E amamo-nos
outra vez.....

5 comentários:

Paixão Lima disse...

Bem interpretado o sentimento da paixão, porque:
«Sob a aparência
De uma plácida existência
Lavra a paixão,
Como sob os verdes prados,
Sob outeiros enflorados
Freme um vulcão».
(Júlio Dinis)

Álvaro Lins disse...

Olá Marta - Vou-me repetir pela enésima vez: excelente.
Abraço

Michelle Trindade disse...

Olá estava passeando pelos blogs e encontrei o seu.. muito lindo o poema e parabéns pelo blog!

tecas disse...

Genial, querida Marta! As suas réplicas são de poetisa maior.
Parabéns.
Bjito amigo e uma flor

Sofá Amarelo disse...

O vento não acorda porque traz na brisa da paisagem o recorte de alguém... e quando se está apaixonado nada nos pode tirar desse 'sono' mágico!